sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

A Igreja Católica, Por Motivos de Doutrina, Sempre Odiou e Desprezou as Nações



"O homem precisa daquilo que em si há de pior se pretende alcançar o que nele existe de melhor." - Friedrich Nietzsche (1844 - 1900)

O triste episódio em causa ocorreu no passado dia 1 de Janeiro, aquando da celebração da primeira Eucaristia de 2018 pelo Papa Francisco. De forma indirecta, sua "santidade" decidiu disparar uma "boca" contra os movimentos nacionalistas, afirmando alto e bom som na Basílica de São Pedro que todos aqueles "que fomentam o medo aos imigrantes, em ocasiões com fins políticos, em vez de construir a paz, semeiam violência, discriminação racial e xenofobia, que são fonte de grande preocupação para todos aqueles que levam a sério a proteção de cada ser humano".

Como é óbvio, as palavras do Papa acima citadas entre parêntesis, são claramente dirigidas aos movimentos nacionalistas e fazem parte da gigantesca campanha internacional, que a Igreja Católica há décadas empreende contra tudo aquilo que lhe cheire a Nacionalismo. Fica pois mais uma vez claro como eu nunca estive errado ou exagerei nas investidas que tenho desde há vários anos levado a cabo contra a Igreja Católica e todas as restantes igrejas cristãs.

A Igreja Católica, por motivos de doutrina, sempre odiou e desprezou as nações e todos aqueles que defendem as mesmas. Interesseira, sonsa e falsa como sempre foi, apenas pontualmente é que estendeu a mão aos nacionalistas, quando precisou dos mesmos para combater inimigos externos que na sua óptica, eram ainda mais perigosos para a Igreja do que a pretensa "ameaça" nacionalista, que nas palavras do próprio Papa Francisco constitui uma "fonte de grande preocupação para todos aqueles que levam a sério a proteção de cada ser humano".

Os nacionalistas, sejam eles de que cor forem, não devem de ficar silenciosos ou baixar a cabeça perante a autêntica campanha de difamação que a Igreja Católica - financiada por George Soros e quejandos - está  a levar a cabo contra nós. Antes pelo contrário, os nacionalistas devem de expor a Igreja e devem de denuncia-la sem qualquer piedade. Acima de tudo, devem de empreender um boycott total contra a Igreja e todas as empresas e associações que colaboram com a mesma. Quem faz negócios com a Igreja, deve de ficar a saber que não irá fazer negócios connosco e muito menos nos terá como clientes ou fornecedores seja do que for.

A Igreja Católica, a seu tempo, há-de acabar completamente destruída e é exactamente isso que ela merece que lhe aconteça. Idealmente, o Cristianismo deve ser mesmo ilegalizado no futuro, pois tal como o Comunismo, a doutrina do judeu de Nazaré é uma doutrina internacionalista, anti-nacionalista e derrotista. 

Onde quer que o Cristianismo se instale e germine, tarde ou cedo, segue-se a destruição da sociedade por via do excessivo humanismo, tolerância e piedade que o modo de vida cristão inevitavelmente acarreta consigo. Tal foi o que ocorreu por todo o Médio Oriente, onde as comunidades cristãs foram já praticamente todas eliminadas pela expansionista e agressiva religião islâmica e tal será o que vai acontecer por toda a Europa Ocidental, se os europeus continuarem embalados nas cantigas utópicas de paz e amor universal que os idiotas úteis ao serviço das várias Igrejas cristãs apregoam.

João José Horta Nobre
5 de Janeiro de 2018

"Os que fomentam o medo aos imigrantes, em ocasiões com fins políticos, em vez de construir a paz, semeiam violência, discriminação racial e xenofobia, que são fonte de grande preocupação para todos aqueles que levam a sério a proteção de cada ser humano"

Ler mais em: http://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/papa-pede-uma-igreja-humilde-em-dia-dedicado-a-refugiados-e-imigrantes?Ref=DET_noticiascecca

17 comentários:

  1. No entanto, há sinais de divisão interna dentro da ICAR. O padreco broches... eeer... perdão, Borges, escreveu esta aberração no neomarxista Diário de Noticiazinhas:

    https://www.dn.pt/opiniao/opiniao-dn/anselmo-borges/interior/o-cancro-da-igreja-9025391.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Afonso, vou-lhe ser muito honesto. Não vejo nada de mais nesse texto do Anselmo Borges. É apenas mais um texto sobre a obra do Papa Francisco. Não acrescenta nada de mais.

      Eliminar
    2. O blogueiro cristão Orlando Braga explicou porque é que o texto do padreco Borges é um autêntico aborto:

      https://algolminima.blogspot.pt/2018/01/o-anselmo-borges-e-um-mentiroso-sem.html#more

      Mas eu ainda acrescento: o principal motivo da oposição dos cristãos ao papa Chico é o seu apoio doentio à causa refujiadista. Fazer um texto a "denunciar" os críticos do papa Chico sem mencionar uma única vez a questão dos "refugiados" é de uma desonestidade intelectual extraordinária.

      Eliminar
    3. Caro Afonso, sim eu li o texto do Orlando Braga umas duas vezes e lá está, aquilo não acrescenta nada de mais ao que já foi dito sobre o Papa Xico. O Orlando Braga já repetiu os mesmos argumentos e críticas em relação ao Padres Anselmo Borges umas 1000 vezes e há-de continuar nisso até se fartar.

      «o principal motivo da oposição dos cristãos ao papa Chico é o seu apoio doentio à causa refujiadista.»

      A maioria dos cristãos não se opõe ao Papa Xico, antes pelo contrário, adoram-no. Mesmo até os ultra-conservadores cristãos na sua larga maioria são grandes fãs do Papa Xico. Apenas uma pequena minoria é que é frontalmente contra o actual Papa.

      «Fazer um texto a "denunciar" os críticos do papa Chico sem mencionar uma única vez a questão dos "refugiados" é de uma desonestidade intelectual extraordinária.»

      Os ditos "refugiados" que andam a entrar em catadupa pela Europa Ocidental adentro, são apenas uma gota no oceano da imigração em geral. Antes de haver a crise do refugiados já a Europa estava cheia de Mohammeds e Akbares. Os refugiados apenas vieram acelerar o processo de substituição populacional e destruição da identidade nacional que a elite globalista está a promover, no entanto, mesmo que não entrassem nenhuns refugiados, a quantidade de imigração terceiro-mundista que já entrou pela Europa adentro nas últimas décadas é de tal ordem, que só por si já garante um desfecho positivo do Plano Kalergi.

      Eliminar
    4. «Apenas uma pequena minoria é que é frontalmente contra o actual Papa.»

      Aqui não sei se concorde, caro JJHN. É certo que a maioria dos cristãos apoia o escroque Bergoglio. Aliás, eu até publiquei uma posta no TU a mostrar que Portugal era precisamente o país em que o Chico tinha mais apoiantes, em termos relativos.

      No entanto, não me parece que, em termos mundiais, os católicos que não gostam do canalha jesuíta sejam uma escassa minoria. Serão uma minoria silenciosa, sem dúvida, mas há indícios de que já há muitas pessoas na Igreja que estão descontentes com a actuação do lacaio globalista.


      «Antes de haver a crise do refugiados já a Europa estava cheia de Mohammeds e Akbares.»

      Sim, é verdade, mas isso não aconteceu apenas por culpa da ICAR. Além de que não invalida o ponto que eu fiz acima: não é intelectualmente honesto condenar os críticos do papa e chamar-lhes "radicais" sem mencionar sequer a questão dos "refugiados". Isso é fugir com o rabo à seringa, um habito demasiado comum nos padres que veneram o Chico.

      Eliminar
    5. O Mestte Nobre apagou um comentário que eu tinha aqui deixado?

      Eliminar
    6. Não. Nada. O Afonso deve estar a fazer alguma confusão, lol.

      Eliminar
    7. Bem, eu escrevi mesmo um comentário, mas suponho que devo ter carregado no botão "pré-visualizar" em vez do botão "publicar"... deixe lá, fica para a próxima! :P

      Eliminar
    8. Caro Afonso, o seu comentário tinha ido para a minha caixa de spam por engano. Já o recuperei como pode ver acima.

      Eliminar
  2. A unica razão que pode levar 1 Nacionalista ou racialista europeu a defender a "santa" Igreja Catolica é mesmo uma questao irracional de fé em jesus cristo, ou seja, é o medo da morte e da doenca. Porque de resto, em termos racionais, não tem mesmo ponta por onde se pegue. O papa francisco e a esmagadora maioria dos clerigos exigem fronteiras abertas e estão-se nas tintas para as desculpas. E este papa tem feito mais questão em fazer notar a sua posição pro-migracionista que qualquer politico comunista ou bloquista portugues e provavelmente de qualquer local do mundo! Desafio qualquer cristão nacionalista a provar que por exemplo o Jeronimo de Sousa ou a Catarina Martins fazem mais discursos "anti xenofobia" que a autoridade maxima da igreja!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A igreja tem um péssimo relacionamento entre seus participantes,. perseguições, provocações, difamações.

      Eliminar
  3. Mestre Nobre, desejo-lhe um bom ano de 2018!

    Ass.Rui

    ResponderEliminar
  4. "Os ditos "refugiados" que andam a entrar em catadupa pela Europa Ocidental adentro, são apenas uma gota no oceano da imigração em geral. Antes de haver a crise do refugiados já a Europa estava cheia de Mohammeds e Akbares. Os refugiados apenas vieram acelerar o processo de substituição populacional e destruição da identidade nacional que a elite globalista está a promover, no entanto, mesmo que não entrassem nenhuns refugiados, a quantidade de imigração terceiro-mundista que já entrou pela Europa adentro nas últimas décadas é de tal ordem, que só por si já garante um desfecho positivo do Plano Kalergi."

    Nem mais, para demonstrar a veracidade dessa afirmação, dou o exemplo da Alemanha:

    Desde 1970, que a taxa de fecundidade nos Alemães é inferior a 2.1, por conseguinte, não há substituição de gerações. O rácio médio entre 1970 e a actualidade, andou na melhor das hipóteses nos 1.6

    Isto significa que em cada geração, há menos 25% de gente.

    Sabemos que os demógrafos classificam um intervalo geracional nos 25 anos, mas mesmo dando por adquirido que as ultimas gerações têm filhos mais tarde, o efeito é notório:

    https://www.destatis.de/DE/PresseService/Presse/Pressemitteilungen/2016/09/PD16_327_122.html

    segundo os próprios dados oficiais da Alemanha, em 2016, pelo menos 40% das crianças com menos de 5 anos tem perfil de imigração.

    eu não ficaria surpreendido se pelo menos metade dos novos nascimentos da Alemanha fossem estrangeiros ou descendentes.

    Isto é uma situação criminosa e um claro genocídio, e notem que estamos apenas a falar de umas 2 gerações, uns 50 anos no máximo. Esse intervalo de tempo é absolutamente ridículo, um ser humano dura quase o dobro desse tempo.

    Portanto, a causa fundamental, é a falta de fertilidade da população Alemã e a consequência desastrosa da imigração estrangeira de milhões de trabalhadores para a Alemanha nos anos 60' e 70'.

    A crise dos refugiados é mais do mesmo, mas nem creio que tenha nem de perto o impacto que tem a crise de fertilidade e da imigração dos trabalhadores para a Alemanha.

    A maioria dos imigrantes que foram para a Alemanha, são pessoas de bem, colocar a situação na perspectiva que a imigração é má porque cometem crimes etc, é ridiculamente perigosa porque alguém pode contra-argumentar que 90% dos imigrantes, mesmo os refugiados são pessoas de bem.

    O problema é o genocídio que essa situação provoca e a destruição da qualidade genética da população Alemã, alinhar numa narrativa de islão vs ocidente claramente só beneficia a judiaria e esses são a desgraça da Alemanha, o cancro maligno.

    Eu sei, eu sei que não é chique falar dos judeus e que muitos tremem de raiva porque vai afastar os lemmings da mesa de voto, mas do mesmo modo, eu também tremo de raiva porque eu considero que quem pensa assim não passa de um servo dos judeus, um cúmplice. O autor deste blogue está nas entrelinhas a dar entender há algum tempo para cá que não se é aliado por alinhar em 95% na questão judaica, mas sim a 100%. Eu também defendo essa posição.

    E só para não fugir ao tema, sim, tambem tem rasão quanto ao facto dos cristãos seguirem o papa, os cristãos baseiam a moralidade e mesmo a sua vida politica com base nas emoções e na fé. Eles têm muito presente neles a necessidade de perdoar, aceitar a diferença, serem inclusivos, praticarem a caridade e o perdão.
    Claro, isto cria uma enorme confusão e contradição em muitos, mas é por isto que nem sequer vale a pena debater com eles, nem sei qual é o propósito disso. A solução passa por erradicar essa religião da forma mais simples: Educar os mais novos.

    Ninguem que possua uma mente sã aceita o cristianismo, mas ao erradicar o cristianismo, o vazio espiritual terá de ser preenchido, eu acho que o culto pagão aos antepassados é algo que serve.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «mas é por isto que nem sequer vale a pena debater com eles, nem sei qual é o propósito disso.»

      Os cristãos pura e simplesmente não operam dentro do campo da racionalidade.

      «ao erradicar o cristianismo, o vazio espiritual terá de ser preenchido, eu acho que o culto pagão aos antepassados é algo que serve.»

      Sim, concordo plenamente que o Cristianismo vai ter de ir embora de vez. Essa religião já fez mal que chegue e só tem servido para criar divisões e problemas de toda a espécie. Quanto a um eventual substituo do Cristianismo, isso é uma longa conversa que dá pano para mangas...

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...