terça-feira, 17 de abril de 2018

A Tecnologia Militar do Império Anglo-Sionista Foi Exposta ao Ridículo na Síria




"Nunca foi sensata a decisão de causar desespero nos homens, pois quem não espera o bem não teme o mal." - Nicolau Maquiavel (1469 - 1527)

Pior do que perder, é não sabermos admitir que perdemos. O Pentágono foi há poucos dias completamente humilhado na Síria, mas continua em negação e não só contínua em negação, como anda desesperadamente a tentar convencer o público de que a sua última operação militar foi um patente "sucesso". Não foi. Bem pelo contrário, foi uma humilhação e pior ainda do que uma humilhação, ficámos todos a saber que a NATO e as suas "modernas" armas "inteligentes" não passam de um "tigre de papel" extremamente dispendioso e basicamente inútil em muitos aspectos.

Como é que Sr. Trump, o goy de estimação dos israelitas, dizia? "Prepara-te Rússia, porque os mísseis virão bonitos, novos e inteligentes", não era? Pois bem, pelos vistos os mísseis vieram mesmo e o resultado foi que os sírios abateram mais de 70% dos brinquedos caros disparados pelos ianques. O Pentágono agora afirma oficialmente que só tinha "três alvos" e que os mesmos foram todos atingidos, como se alguém com o mínimo de bom discernimento, pudesse mesmo acreditar que os anglo-sionistas fossem gastar 103 mísseis de cruzeiro para bombardear apenas três edifícios. É óbvio que não e só um retardado mental pode acreditar na versão dos acontecimentos relatada pelo Pentágono.

A verdade que os anglo-sionistas não querem admitir é que eles tinham como alvo principalmente as bases aéreas e os aeródromos do regime sírio. Ao todo os alvos eram sete, o problema para o Pentágono é que os mísseis que foram disparados contra as bases aéreas e os aeródromos do regime sírio, foram praticamente todos abatidos e os danos provocados foram mínimos, para não dizer mesmo irrelevantes. Posteriormente, de forma a não perder face e acima de tudo, para não mostrar a inferioridade do seu equipamento militar, a máquina de propaganda do Pentágono inventou que só tinha como intenção atingir "três alvos" na Síria, nomeadamente os tais edifícios que alegadamente pertenciam ao tal "programa de armas químicas da Síria" e que realmente foram atingidos, principalmente porque estavam desocupados e por isso mesmo careciam de protecção anti-aérea relevante.

Um míssil Tomahawk pode transportar até cerca de meia tonelada de explosivos na sua ogiva. Se os anglo-sionistas apenas queriam atacar três edifícios, que ainda para mais nem sequer eram alvos subterrâneos ou tinham a estrutura reforçada contra ataques aéreos, bastariam no máximo dez mísseis para destruir por completo cada um destes alvos. No total, a coligação anglo-sionista nunca necessitaria de mais do que trinta mísseis para atingir os tais alvos que a mesma afirma ser a única coisa que pretendia atingir. Portanto, para que foram necessários 103 mísseis (105 na versão oficial do Pentágono)??? 

É óbvio que um número tão elevado de mísseis de cruzeiro tinha como objectivo atacar uma diversidade de alvos que não apenas os tais "três alvos" que o Pentágono afirma ter sido o seu único objectivo. Os anglo-sionistas apenas não admitem isto e provavelmente nunca o vão admitir, porque tal implicaria admitir a inferioridade da sua tecnologia militar face à tecnologia militar russa... 




O Pentágono está a mentir. Os ianques estão a mentir. Os franceses estão a mentir. Os ingleses estão a mentir. Toda a canalha sionista que está directamente por detrás do ataque contra a Síria, está a mentir. As elites ocidentais que apoiaram o ataque ilegal contra a Síria estão a mentir e mentem com todos os dentes que têm na boca. Esta gente ridícula, que claramente não tem a mínima noção de com quem se está a meter, quer-nos convencer igualmente de que os tais edifícios que foram atingidos pelos mísseis anglo-sionistas, estavam cheios de "armas químicas" e químicos para produzir essas mesmas armas. No entanto, vejam por vós as imagens de pessoas nas ruínas dos edifícios bombardeados. Já repararam que ninguém está a usar equipamento de protecção contra armas químicas? Se os tais edifícios estivessem mesmo cheios de substâncias químicas perigosas, nem que fosse apenas o simples cloro que é a arma química mais básica de todas, acham mesmo que seria possível andar pelas ruínas dos edifícios sem protecção?!?

Os povos do Ocidente estão hoje transformados em reféns da pior e mais vil escória que existe na face do Planeta. As mentiras e a desinformação atingiram já um ponto tal, que a elite nem sequer se dá mais ao trabalho de tentar construir mentiras que pelo menos sejam consistentes e façam sentido. Houve um tempo em que no Ocidente era importante e virtuoso falar a verdade, mas tal tempo parece que já se esfumou e o que resta é uma vil corja desprovida de quaisquer princípios morais ou éticos e capaz de tudo para atingir os seus sinistros objectivos.

Mas sabem o que é que verdadeiramente incomoda e assusta a escumalha arruaceira que na madrugada de 14 de Abril atacou a pequena Síria? É o facto de a tecnologia militar dos anglo-sionistas ter sido completamente exposta ao ridículo. Conseguem imaginar o terror que devem de estar a sentir neste momento os principais comandantes da NATO? Será que alguém tem noção do quão preocupados devem de estar neste momento os principais cérebros do Pentágono? Esta gente acabou de descobrir que os seus mísseis "inteligentes", na realidade, não passam de sucata voadora, altamente suscetível não só a interferência electrónica, mas também a sistemas anti-aéreos soviéticos das décadas de 1980, 1970 e até mesmo 1960!

De resto, esta humilhação dos equipamentos militares ocidentais é apenas um reflexo do estado de podridão e morte clínica generalizada em que já se encontram as sociedades ocidentais. Eventualmente, haveremos de bater no fundo, mas até lá preparem-se todos, pois ainda temos muito que cair...
 
João José Horta Nobre
17 de Abril de 2018
 

sábado, 14 de abril de 2018

O Grande "Sucesso" dos Anglo-Sionistas na Síria




"Se você conhece o inimigo e conhece-se a si mesmo, então não precisa de temer o resultado de cem batalhas." - Sun Tzu (544 - 496 a.c.)

Como já todos sabem, durante a última madrugada o Império Anglo-Sionista decidiu "testar" o sistema integrado de defesa anti-aérea da Síria e para tal efeito, disparou uma barragem de 103 mísseis de cruzeiro contra vários alvos em território sírio. Escusado será dizer que para além deste ataque ir contra todas as normas do direito internacional e constituir um flagrante acto de agressão gratuita contra um Estado soberano, tal acto só veio colocar mais uma vez a nu o absoluto desprezo que os supremacistas judeus em controlo da Casa Branca possuem pela Humanidade e todas as normas da diplomacia civilizada

Entretanto, a máquina de propaganda do Pentágono já entrou em funcionamento e está a "lavar" os acontecimentos da última madrugada, descrevendo os mesmos como tendo sido um patente "sucesso". Pois bem, vejamos então como se materializou na prática este grande "sucesso" de que o Pentágono fala:

  • 4 mísseis foram disparados contra o Aeroporto de Damasco. Foram todos abatidos pelas defesas anti-aéreas da Síria.
  • 12 mísseis foram disparados contra o Aeródromo de Al-Dumayr. Foram todos abatidos pelas defesas anti-aéreas da Síria.
  • 18 mísseis foram disparados contra o Aeródromo de Blai. Foram todos abatidos pelas defesas anti-aéreas da Síria.
  • 12 mísseis foram disparados contra a Base Aérea de Shayrat. Foram todos abatidos pelas defesas anti-aéreas da Síria. Nenhuma base aérea do governo sírio foi atingida ou sequer danificada no ataque. 
  • 9 mísseis foram disparados contra o Aeródromo de Mazzeh. 5 destes 9 mísseis foram abatidos pelas defesas anti-aéreas da Síria. 
  • 16 mísseis foram disparados contra o Aeródromo de Homs. 13 dos mísseis foram abatidos pelas defesas anti-aereas da Síria e os únicos 3 que atingiram o alvo, limitaram-se a provocar danos de menor gravidade. 
  • 30 mísseis foram disparados contra edifícios e laboratórios científicos do governo sírio que se localizam próximo de Barzah e Jaramana. 7 destes 30 mísseis foram abatidos pelas defesas anti-aéreas da Síria. Estes edifícios seriam onde estaria sediado o alegado "Programa de Armas Químicas da Síria" que só existe na propaganda mentirosa dos anglo-sionistas. Apesar de neste caso a maioria dos mísseis terem atingido o alvo, o ataque foi fútil, pois os edifícios estavam desocupados e desactivados, sendo que em consequência não se terão registado quaisquer baixas civis ou militares.[1]

No total, de 103 mísseis de cruzeiro que foram disparados pelas forças da coligação anglo-sionista, apenas 32 é que conseguiram atingir com sucesso os seus alvos, sendo que os restantes foram todos abatidos pelo sistema integrado de defesa anti-aérea da Síria. Os vários sistemas de defesa anti-aérea da Síria que estiveram envolvidos no abate dos mísseis de cruzeiro disparados pelos anglo-sionistas, tiveram um desempenho acima do esperado e tal como eu já havia afirmado anteriormente a propósito do abate de um F-16 israelita pelos sírios em Fevereiro passado, "é de esperar que lenta, mas gradualmente, os sírios comecem progressivamente a conseguir negar com sucesso o seu espaço aéreo ao inimigo."

O cúmulo da humilhação para os anglo-sionistas e aquilo que os mesmos estão a tentar ocultar do público a todo o custo, é o facto de o bom desempenho obtido pelo sistema integrado de defesa anti-aérea da Síria na última madrugada, ter sido todo feito com base em antigos sistemas de defesa anti-aérea de origem soviética, como o Buk, o 2K12 Kub, o 9K33 Osa, o S-200 e o S-125 Neva/Pechora que os ianques já devem de conhecer bem, pois foi este último sistema anti-aéreo que em 1999 abateu sob os seus da Sérvia um moderníssimo F-117 Nighthawk com tecnologia stealth, que alegadamente deveria de tornar este caça-bombardeiro invisível para os radares inimigos.

Em jeito de conclusão, pois nada mais tenho a dizer por agora, quero apenas frisar que os sírios, na última madrugada, limitaram-se a defender-se de um ataque absolutamente injusto e vil, justificado pelos anglo-sionistas com base em mentiras fabricadas e lançado pela mesma "mão invisível" que nos idos da década de 1960 e 1970, fez a guerra contra Portugal nas suas províncias ultramarinas e esteve certamente por detrás do 25 de Abril de 1974.[2] 

A judiaria internacional pode mentir e fabricar "provas" à vontade, ela pode inventar e difamar e tentar ocultar a verdade o quanto ela quiser, que nada neste Mundo impedirá o povos da Terra de eventualmente virem a acordar para a realidade da grave situação em que a Humanidade se encontra por causa deste gente. No fim e como diria o piloto-aviador Manuel Gouveia: "se for preciso, morrer, morre-se!" Nem que o custo da resistência seja o de morrermos todos colectivamente afogados no nosso próprio sangue, nem assim devemos pensar por um momento sequer em rendição ou capitulação perante a ofensiva bárbara e assassina do Sionismo Rothschild que quer à força dominar e escravizar o Planeta. Estes psicopatas com mentalidade apocalíptica não vão parar enquanto não forem forçados a parar e a única coisa que resta saber é quão longe é que eles estão mesmo dispostos a ir na sua senda megalomaníaca para erguer a Nova Ordem Mundial

_______________________________________________

Notas:
[1] THE SAKER - Chief of the Main Operational Directorate of the Russian General Staff Colonel General Sergei Rudskoy holds briefing for mass media. The Saker: A Bird's Eye View of The Vineyard. 14 de Abril de 2018. Link: http://thesaker.is/chief-of-the-main-operational-directorate-of-the-russian-general-staff-colonel-general-sergei-rudskoy-holds-briefing-for-mass-media/
[2] Um golpe que apresentou todos os traços de mais uma operação de "regime change" como aquelas a que os anglo-sionistas já nos habituaram. Se quiserem saber mais sobre isto, leiam a obra 25 de Abril: Episódio do Projecto Global de Fernando Pacheco de Amorim. 

João José Horta Nobre
14 de Abril de 2018


terça-feira, 10 de abril de 2018

O Ataque Químico do Passado Dia 7 de Abril na Síria Foi Clara, Nítida e Comprovadamente Uma Operação de Bandeira Falsa




"Aquele que diz uma mentira não calcula a pesada carga que põe em cima de si, pois tem de inventar uma infinidade delas para sustentar a primeira." - Alexander Pope (1688 - 1744)
 
Curto e grosso: O ataque químico do passado dia 7 de Abril na Síria foi clara, nítida e comprovadamente uma operação de bandeira falsa, levada a cabo pelos "rebeldes" que recebem apoio da coligação internacional anti-Assad e estão em conluio com os White Helmets financiados por George Soros. Os White Helmets já foram apanhados anteriormente a falsificar ataques contra civis, de forma a incriminar o regime de Bashar al-Assad, portanto julgo que está tudo dito sobre a credibilidade deste organização "humanitária" que serve única e exclusivamente para servir os interesses sionistas na Síria e fazer propaganda anti-Assad.




Trump não passa de uma mera marioneta nas mãos dos judeus sionistas que o cercam e querem destruir a todo o custo. A matilha de cães pró-Israel que controla a Casa Branca, tem como objectivo não apenas a destruição da Síria, mas também do Irão e acima de tudo da Rússia, País este que a judiaria internacional odeia visceralmente e intenta há mais de um século destruir.

João José Horta Nobre
10 de Abril de 2018


sábado, 24 de março de 2018

Porque é Que eu Decidi Começar a Trabalhar Para a KGB e o Czar Putin?




Pois é, parece que me apanharam e descobriram que eu trabalho para a KGB e para os russos. Isso mesmo, leram bem. Eu trabalho para a KGB e o Putin é o meu patrão. Decidi vir a público e admitir isto tudo depois do caríssimo Manuel Silva (aka Arquivista), meu grande fã e leitor assíduo deste blog, ter decidido denunciar-me há alguns dias no comentário que podem ver abaixo: 




Bem, uma vez feita a revelação fantástica de que eu faço parte da "escumalha" da KGB que "irá ser derrotada", resta-me explicar aqui os motivos pessoais que me levaram a passar para o outro lado. É que não sei se sabem, mas eu sempre gostei de estar na moda e uma vez que virtualmente todos os nacionalistas hoje são "agentes russos financiados por Putin", eu decidi alistar-me na quinta-coluna russa no Ocidente e colocar os meus serviços ao dispor da Grande Mãe-Rússia.

Portanto, fiz uns telefonemas, enviei o meu currículo e mostrei os meus escritos político-ideológicos aos rapazes que recrutam para Putin e alguns dias depois recebi por correio o meu cartão da KGB. A partir de então passei a ser um propagandista ao serviço de Moscovo. Hail Rússia! Hail Putin! Abaixo com as ratazanas Imperialistas da NATO! Abaixo com o Império Ianque!

Putin deve ser mesmo um homem extraordinário. Eu nunca o conheci pessoalmente, mas acredito que ele deve ser mesmo um tipo bestial, até porque se assim não fosse, eu não estaria a trabalhar para ele. Chama-se a isto lógica política do mais fino recorte.

Por enquanto, o Kremlin ainda não me paga muito, mas eventualmente há-de dar para conseguir comprar um modesto apartamento em Moscovo ou então, alguns hectares de terra na Sibéria, local onde planeio retirar-me definitivamente quando os meus dias de propagandista ao serviço da KGB chegarem ao fim. Até já ouvi dizer que os russos converteram alguns dos antigos gulags de Estaline em resorts de cinco estrelas, com sorte, pode ser que me dêem um cartão de descontos devido ao facto de eu trabalhar para a KGB.

Estamos num tempo em que já não há princípios, nem moralidade. O que interessa é fazer dinheiro e subir na vida, custe o que custar. Claro que sei que sou um desertor, mas isso não me interessa, nem me preocupa, porque os vampiros imperialistas da NATO nunca me vão conseguir apanhar.

Dizem que há actualmente uma rede de blogs e websites no Ocidente que está ao serviço de Putin. Segundo os últimos cálculos, parece que ao todo somos uns 200,000 propagandistas, uma verdadeira quinta-coluna como nunca na história se viu igual. Juntos, somos uma força formidável no campo das operações psicológicas que visam manipular a opinião pública a favor do Kremlin. Afinal de contas, quem é que acham que meteu o Trump na Casa Branca? Claro que fomos nós e até vos digo que foi um empreendimento muito mais fácil do que aquilo que esperávamos. A CIA e os rapazes da NSA levaram de nós um "bailinho" de que nunca se vão esquecer. 

Da minha parte, desde que o dinheiro russo continue a entrar na minha conta bancária na Suíça, eu prometo que irei continuar a fazer o meu melhor. O Czar Putin precisa de pessoas como nós e nós precisamos do dinheiro do Czar Putin. Trata-se de lógica do mais fino recorte.

João José Horta Nobre 
24 de Março de 2018


domingo, 18 de março de 2018

O "Sistema" Quer à Força Provocar Uma Guerra Com a Rússia




"A Humanidade afundar-se-à na eterna escuridão, cairá num estado letárgico e primitivo, se os judeus vencerem esta guerra." - Joseph Goebbels (1897 - 1945)

Aquilo a que estamos colectivamente a assistir neste preciso momento, é a um esforço concertado e persistente por parte dos vários agentes ao serviço do Sionismo Rothschild, no sentido de provocar uma guerra com a Rússia que potencialmente pode redundar num Apocalipse termonuclear à escala global. Já não estamos a falar apenas de um ou outro incidente diplomático-militar, mas sim, de uma campanha anti-russa de contornos altamente agressivos, que está a ser progressivamente empreendida por parte da estrutura de controlo sionista (aka o "sistema"), com o objectivo de destruir o País que, a par da China, é hoje um dos últimos grandes bastiões de defesa da Civilização.

Os apócrifos media ocidentais, qual Ministério da Propaganda, não param de disparar mentiras atrás de mais mentiras sobre uma suposta "ameaça russa", que só existe na mente sádica dos sionistas psicopatas que diariamente cospem o seu fel nos meios de (des)informação por si controlados. Ainda hoje e só para vos dar um exemplo prático da loucura demente de que estamos aqui a falar, assisti horrorizado às palavras proferidas por Bill Browder na Fox News. Para quem não saiba, Bill Browder é ele próprio um empresário judeu (apenas mais uma "mera coincidência" com toda a certeza...) e segundo este eminente semita, "para Vladimir Putin não existem regras" e por isso mesmo, há que intensificar o implacável cerco económico-financeiro contra a Rússia. Isto é apenas um pequeno exemplo daquilo que diariamente os media ocidentais proferem sobre a Rússia e é um facto indesmentível que quem está a dirigir esta campanha mediática contra Moscovo são supremacistas judeus (quem disser o contrário disto está a mentir e convido qualquer pessoa que duvidar da minha palavra, a consultar por si a origem étnico-religiosa dos principais media moguls e jornalistas que estão a dirigir a actual campanha mediática contra a Rússia no Ocidente).

A demoníaca elite sionista que está aos comandos da estrutura de poder nas sociedades ocidentais, mais as suas prostitutas políticas e mediáticas, não têm a mínima noção daquilo que estão a fazer e pessoalmente, arrisco mesmo dizer que esta gente perdeu de vez a noção da realidade. Macron, Merkel, May e Trump vivem todos na fantasia ingénua de que são absolutamente invulneráveis e todo-poderosos. A  verdade, no entanto, é que esta gente não tem a mínima noção das pessoas com que estão neste caso a lidar e não estão conscientes das potenciais consequências que podem advir de andarem a colocar excessiva pressão diplomático-militar em cima da Rússia, ao passo que a cercam progressivamente com bases militares da NATO.

A cúpula de poder do Sionismo Rothschild e os seus respectivos lacaios políticos, sentem-se tão seguros e superiores, que se julgam invencíveis (Hitler e Napoleão também julgavam o mesmo...) e não conseguem sequer conceber a possibilidade de que o seu Mundo pode simplesmente desaparecer de um momento para o outro. Sugiro por isso a estes senhores que tenham em consideração estes dois simples factores:

1º - A Rússia possui a capacidade de reduzir a cinzas radioactivas o Ocidente e o Mundo inteiro em poucos minutos e não há nenhum "escudo anti-míssil", nem sistema anti-aéreo na posse da NATO que seja capaz de evitar tal destino. As recentes armas hipersónicas anunciadas pelo próprio Presidente Vladmir Putin há alguns dias, apenas vieram confirmar e acentuar a realidade deste facto.

2º - Putin já deixou bem claro que a Rússia não voltará a combater uma guerra no seu próprio solo como aconteceu durante a Segunda Guerra Mundial e a própria doutrina militar russa actualmente em prática, advoga que as armas nucleares podem e devem de ser usadas se a Rússia se ver confrontada com uma guerra de agressão por meios convencionais, que coloque em risco não só a existência do Estado Russo, mas a própria integralidade territorial da Rússia.

O que o disposto acima significa muito simplesmente é que se o plano do Império Anglo-Sionista e da Judiaria Internacional é o de eliminar a Rússia e o povo russo, então podem-se todos começar a preparar para um holocausto nuclear, pois a Rússia não só não se irá render ou capitular, como está mesmo disposta a levar o Mundo inteiro de arrasto com a mesma num inferno termonuclear como nunca ninguém viu.

Julgo que não podem restar dúvidas de que isto não é, nem nunca foi um problema que diga respeito única e exclusivamente ao povo russo. Bem pelo contrário, os judeus insanos que hoje agitam a bandeira da guerra contra a Rússia a partir de Washington, Londres, Berlim e Paris são os inimigos jurados não apenas do Ocidente, mas de toda a Humanidade.

Sei que não vai ser nada fácil, mas espero sinceramente que os povos do Ocidente abram os olhos e acordem da letargia suicida em que estão mergulhados, antes que seja demasiado tarde para se poder evitar o pior. Acreditem que isto está mesmo a ficar perigoso e parece que a elite ocidental se esqueceu de que quem brinca com o fogo, mais tarde ou mais cedo, acaba por se queimar...

João José Horta Nobre
18 de Março de 2018


segunda-feira, 12 de março de 2018

Xi Jinping, a Vitória do Autoritarismo e a Derrota do "Fim da História" de Francis Fukuyama

Xi Jinping (1953 - )


"Não interessa se o gato é branco ou preto, o que interessa é que ele consiga caçar os ratos." - Deng Xiaoping (1904 - 1997)

"O Congresso Nacional Popular (CNP) chinês votou ontem, por esmagadora maioria, a remoção da cláusula que impunha apenas dois mandatos ao chefe de Estado" da China. Simultaneamente, foi aprovada "a integração no preâmbulo da Constituição de uma referência ao «pensamento de Xi Jinping sobre o socialismo com características chinesas para uma nova era»." Esta retumbante vitória para o Presidente Xi Jinping é também uma vitória para todos os nacionalistas do Ocidente e eu vou já explicar de seguida o porquê desta minha posição, que à primeira vista admito que possa parecer algo aberrante.

Para começar, o Presidente Xi Jinping é também ele um nacionalista de facto. A China desde há muito que se encontra em rota de colisão com o modelo ideológico demo-liberal que o Ocidente lhe tenta impor há décadas. Este modelo demo-liberal, o tal que Francis Fukuyama ingenuamente afirmou representar "o Fim da História", é um dos principais culpados pela actual crise civilizacional do Ocidente e é em última análise um das causas de quase todas as nossas desgraças. A decadência moral e social que lentamente está a corroer os alicerces civilizacionais do Ocidente, a "democracia" dos partidos que leva na prática a uma anarquia política e as "modernices" do Ocidente que se expressam em aberrações da natureza como a adopção de crianças por pares de invertidos, são tudo elementos que de certo farão a conservadora e ainda muito tradicional sociedade chinesa repudiar o Ocidente, pelo menos no que diz respeito à importação de mais modelos político-ideológicos. Xi Jinping sem dúvida alguma que representa o inverso de toda esta podridão ocidental, trata-se, na essência, de um homem conservador, socialista à maneira chinesa, mas acima de tudo patriótico e defensor do seu povo e da sua Pátria.

Sim, é verdade que Xi Jinping preside a um regime autoritário e eu pessoalmente não vejo nada de mal em tal facto, antes pelo contrário! Desde há muito que a estrutura de controlo sionista que manda no Ocidente quer exportar a "democracia" para a China. Conseguiram numa primeira fase exportar para lá o Marxismo, numa vã tentativa para destruir a sociedade tradicional chinesa e consequentemente a própria Civilização Chinesa, porém, a judiaria internacional acabou por falhar miseravelmente na sua empresa e quando os chineses começaram a converter o Comunismo numa espécie de Nacional-Socialismo à moda chinesa, os supremacistas judeus que ladram propaganda 24/7 no jornalixo por si controlado, passaram a clamar logo pela imposição da "Deusa Democracia" na China. A judiaria internacional adora a democracia pelo simples motivo de que a "democracia" é o mais corrupto de todos os sistemas políticos. A "democracia" como nós a temos no Ocidente conseguiu mesmo eivar a corrupção a um nível de perfeição e fê-lo ao passo que simultaneamente convencia as massas de que estas tinham algum poder de decisão política.

Uma Nação quando se deixa picar pela "tarântula democrática" como lhe chamava Auguste Émile Faguet, não tarda a cair na mais profunda e miserável decadência civilizacional. Venenos ideológicos mortais como o Feminismo, a homossexualidade militante, os "direitos humanos", a "igualdade" e a "liberdade", são ingredientes indispensáveis desta "salada ideológica" pré-feita e prontamente dada de comer às massas que ingenuamente engolem toda a porcaria que os media lhes dão de comer. 

No entanto, a China não é o Ocidente e Xi Jinping certamente que não tem a sua cabeça contaminada pelo lixo ideológico demo-liberal que eu acabei de referir. A China é um País com um modelo político autoritário há milhares de anos e está mais do que provado e demonstrado que este modelo político é o que funciona melhor não só na China, mas em todo o Mundo. O principal motivo pelo qual os supremacistas judeus que controlam os media se sentem tão incomodados com o Autoritarismo, deve-se ao facto do Autoritarismo levar inevitavelmente à construção de estados-nação fortes e onde, por norma, predomina verdadeiramente a ordem e o progresso no bom sentido. Ora, os supremacistas judeus não querem isto, pois o que esta gente, o que esta diabólica clique internacional pretende, são estados-nação fracos e de preferência socialmente divididos e em guerra civil permanente por vai da tal "democracia" dos partidos políticos. Há que "dividir para reinar" e Sião há milénios que sabe fazer uso desta estratégia com particular mestria.

As elites chinesas tiveram as suas experiências com o Comunismo e desde o tempo de Deng Xiaoping que aprenderam a colocar de lado a ideologia, dando preferência ao que realmente funciona e serve os melhores interesses do povo chinês. Xi Jinping é um produto directo desta mudança política radical inaugurada por Deng Xiaoping e mais ainda do que isto, é o homem que (a par de Vladimir Putin...) está progressivamente a demonstrar ao Mundo a falibilidade inevitável das teses de Francis Fukuyama sobre o tal "Fim da História" que nunca o foi. Não se iludam mais com as balelas sobre as falsas "virtudes" da "democracia" dos partidos, o Autoritarismo veio para ficar e cada vez mais estados-nação irão abraçar o mesmo à medida que os modelos demo-liberais forem inevitavelmente falhando e caindo de podres. 

João José Horta Nobre
12 de Março de 2018


quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Do Sionismo Bíblico

 O Papa Xico rodeado de pessoas de bem no Muro das Lamentações.

«How is Biblical Zionism?»


Creio que no dia em que a maioria dos cristãos perceberem que a sua religião é uma fraude inventada por judeus, o Cristianismo acaba. Foi essencialmente a crassa ignorância, associada à pobreza desesperante das populações, que permitiu que o Cristianismo se espalhasse na Europa. A traição descarada da parte de muitos monarcas que foram tomando (ou usurpando...) o poder na Europa após o colapso do Império Romano, tratou de fazer o resto. Ao que parece, até no recém-fundado Reino de Portugal, D. Afonso Henriques não se terá demorado a nomear um judeu para o cargo de Ministro das finanças do Reino...

Os judeus de tempos a tempos inventam uma nova seita ou uma nova ideologia para continuar a enganar os ingénuos e fracos de espírito. Estas panaceias universais inventadas pelos judeus, por norma, só trazem é loucura e desgraça atrás de si e visam enfraquecer a sociedade de forma a abrir o caminho para a Nova Ordem Mundial com sede em Jerusalém que está planeada desde há muito.

O Cristianismo é apenas mais uma ferramenta auxiliar dos sionistas e eu até desconfio de que os mesmos planeiam manter o credo cristão a funcionar depois de atingirem os seus objectivos, como forma de manter o "gado" sob controlo. O Cristianismo é ainda mais útil aos sionistas do que o Comunismo, isto porque ao passo que o Comunismo incentiva a uma certa rebeldia contra o poder instaurado, o Cristianismo ensina e prega a subserviência fanática. Ora, alguém acha mesmo que os sionistas não gostam de uma coisa assim?!?

Para a canalha sionista o Cristianismo foi a melhor coisa que apareceu! Não há melhor fórmula para se controlar e manipular o "gado", do que a fórmula cristã!

Shalom!


 João José Horta Nobre
22 de Fevereiro de 2018

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Os Sírios Estão a Dar Uma Lição ao Mundo Sobre a Importância da Defesa Anti-Aérea


O que resta de um F-16 israelita, depois de o mesmo ter tido um encontro desagradável sobre os céus da Síria com um míssil anti-aéreo de provável fabrico russo.


"Mais vale prevenir que remediar." - Provérbio popular

No passado dia 10 de Fevereiro, um F-16 israelita foi abatido pelas defesas anti-aéreas da síria. Desde 1982 que os sírios não conseguiam atingir e abater com sucesso um caça de combate da Força Aérea Israelita que, diga-se de passagem, é uma das mais tecnologicamente avançadas do Mundo. Este sucesso militar da parte dos sírios, descrito pelo Hezbollah como sendo uma "nova fase estratégica" da guerra na Síria, certamente que não teria sido possível sem a vital assistência militar russa e iraniana que não só tem fornecido melhor e mais capaz hardware e software militar aos sírios, como também lhes tem incutido melhores hábitos em termos de métodos de treino e doutrina militar.

Ninguém sabe exactamente quais são os sistemas de defesa anti-aérea que os russos têm fornecido aos sírios, no entanto, quem está minimamente a par do que se anda a passar nos céus da Síria, não tem neste momento a mínima dúvida de que a Rússia (e o Irão) está lenta, mas gradualmente, a fazer um upgrade geral dos vários sistemas de defesa anti-aérea da Síria. 

O controlo do espaço aéreo e a sua respectiva negação às forças do Império Anglo-Sionista, é de importância crucial não só para a Síria, mas para qualquer Estado-Nação que deseje preservar a sua independência e soberania face aos falcões do imperialismo internacionalista. Aliás, não é ao acaso que os anglo-sionistas iniciam sempre os seus ataques militares para espalhar a "democracia" e os "direitos humanos", com uma barragem de mísseis de cruzeiro que visam destruir ou pelo menos danificar gravemente os sistemas de defesa anti-aérea do respectivo País que num dado momento é o alvo da sua ira. A neutralização do sistema de defesa anti-aérea por mísseis de cruzeiro e aviões stealth é o primeiro passo de qualquer ataque militar dos anglo-sionistas e o objecitvo é garantir para os mesmos a total supremacia aérea, negando simultaneamente qualquer capacidade de operar para a Força Aérea do inimigo.

A Síria é hoje um bom exemplo de como um País relativamente pobre e tecnologicamente atrasado, pode defender adequadamente o seu espaço aéreo de incursões externas. Obviamente que os sírios estão ainda muito longe de conseguirem negar por completo o seu espaço aéreo aos anglo-sionistas, no entanto, o abate do F-16 israelita no passado dia 10 de Fevereiro, para além de ter deixado em estado de choque o Estado-Maior israelita, demonstrou também que algo está a mudar no que diz respeito às capacidades dos vários sistemas de defesa anti-aérea da Síria.

No presente momento e dadas as avançadas capacidades tecnológicas do inimigo anglo-sionista, os sírios certamente que estão a adquirir dos russos mais e melhores sistemas de defesa anti-aérea móveis como o Pantsir-S1 e o 9K333 Verba que, quando usados em conjunto e operados por militares bem treinadas para o efeito, poderão complicar seriamente as operações aéreas tanto para os israelitas como para os ianques.[1] A grande vantagem dos sistemas de defesa anti-aérea móveis é a de precisamente os mesmos serem móveis, ou seja, por terem a capacidade de mudar rapidamente de localização, tornam-se muito mais difíceis de encontrar e neutralizar.

Para além do fornecimento de mais e melhores sistemas de defesa anti-aérea aos sírios, os russos também estão a levar a cabo um upgrade dos antigos sistemas de defesa anti-aérea da Síria, como o 2K12 Kub e o 9K37 Buk, que apesar de serem ainda de origem soviética, podem sem dúvida alguma transformar o espaço aéreo sírio num inferno para os anglo-sionistas, se os mesmos forem correctamente operados e alvos dos respectivos upgrades que irão transformar estes sistemas de defesa anti-aérea concebidos na década de 1970, em sistemas preparados para fazer frente às novas tecnologias empregues pela Força Aérea Israelita e Americana.[2] 

É de esperar que lenta, mas gradualmente, os sírios comecem progressivamente a conseguir negar com sucesso o seu espaço aéreo ao inimigo. O recente abate do F-16 israelita foi apenas um primeiro sinal, no entanto, é de esperar que os raids aéreos dos anglo-sionistas comecem aos poucos e cada vez mais a evitar os centros urbanos e bases militares mais fortemente defendidas pelos vários sistemas de defesa anti-aérea da Síria, dando preferência a ataques contra colunas e alvos militares isolados que carecem de protecção anti-aérea. É também de esperar que tanto os israelitas, como os americanos, comecem a dar preferência a mais ataques com mísseis de cruzeiro, já que os riscos dos seus pilotos serem mortos ou capturados pelas forças sírias serão cada vez maiores.

Em termos gerais, os sírios estão a demonstrar ao Mundo a importância de se ter uma defesa anti-aérea adequada, como meio estratégico para se garantir a respectiva independência e soberania nacional. Os governantes portugueses devem de retirar ilações disto e não devem de descurar a defesa do seu espaço aéreo, sob pena de poderem vir a pagar no futuro um elevadíssimo preço por tal irresponsabilidade.

Aproveito para deixar também e já agora uma última palavra sobre a NATO, que é uma aliança militar inteiramente ao serviço dos interesses do sionismo internacional. A NATO não é, nem nunca foi do interesse de Portugal e foi um erro estratégico termos entrado na mesma, pois ela nunca nos defendeu de nada e só serve é para nos arrastar para aventuras militares que são única e exclusivamente do interesse dos anglo-sionistas. Portugal se quiser ter um futuro, deve logicamente sair da NATO e da União Europeia sem demoras, deve de proteger as suas fronteiras e o seu espaço aéreo de forma adequada e deve procurar selar alianças e pactos de defesa mútua com o Mundo livre, isto é, com as nações que ainda se encontram livres das garras do Império Anglo-Sionista e das respectivas organizações e alianças supra-nacionais ao serviço do mesmo. 

____________________________________________

Notas: 
[1] THE SAKER - Escalation in Syria: How Far Can The Russians be Pushed? The Vineyard of The Saker, 16 de Fevereiro de 2018. Link: http://thesaker.is/escalation-in-syria-how-far-can-the-russians-be-pushed/
[2] THE SAKER - Escalation in Syria: How Far Can The Russians be Pushed? The Vineyard of The Saker, 16 de Fevereiro de 2018. Link: http://thesaker.is/escalation-in-syria-how-far-can-the-russians-be-pushed/

João José Horta Nobre
21 de Fevereiro de 2016


domingo, 4 de fevereiro de 2018

O Ocidente Está a Viver Numa Mentira Monumental







 
A distopia megalómana que os internacionalistas pretendem impor ao Mundo, precisa desesperadamente de controlar a informação, de forma a poder moldar a percepção da realidade que o comum cidadão tem ao seu dispor. A capacidade de se conseguir controlar a percepção da realidade e a manipulação e moldagem artificial da mesma consoante os interesses da elite reinante, é a "pedra angular" que permite a manutenção do poder sobre a sociedade por parte dos senhores da Nova Ordem Mundial.

O governo mundial totalitário é, em última análise, o objectivo final da actual elite reinante. De forma a poder atingir este fim, a elite reinante sabe que precisa de mentir e enganar e acima de tudo, sabe que tem de perseguir todos aqueles que se atrevem a ir contra a "cassete" oficial propagandeada pelos media do sistema. Foi neste contexto que surgiu o termo "fake news", que na prática é apenas um rótulo empregue pelas forças políticas e mediáticas ao serviço do sistema, para denegrir todos aqueles que falam a verdade sobre a trama maligna em curso. 

É mais do que óbvio que o termo "fake news" surgiu porque a elite reinante não está a gostar do contraditório a que está a ser sujeita pelos media alternativos e independentes. Aterrorizadas com o gradual declínio dos "mainstream media" inteiramente controlados pela elite reinante, não tardou para que as "gloriosas democracias" do Ocidente intensificassem a perseguição de todos aqueles que ousam falar a verdade e denunciar a conspiração globalista em curso. A gradual perda do seu monopólio (des)informativo, vai inevitavelmente conduzir a seu tempo a uma total descredibilização de todas as forças políticas, sociais e mediáticas ao serviço da Nova Ordem Mundial.  

A mentira monumental em que o Ocidente vive, gradualmente, está a ser desmontada e já dá sinais de estar a abrir as primeiras brechas.

Há, no entanto, que nunca esquecer que nós só chegámos à actual situação no Ocidente, devido principalmente à cobardia e à traição da parte de muitos. A cobardia de inúmeras forças políticas e sociais, associada à traição descarada de outras tantas, é de longe a principal causa da actual crise civilizacional que tomou conta do Ocidente. Enquanto não se varrer o lixo que sequestrou as estruturas de poder do Ocidente. Enquanto não se eliminar de vez estes vermes com forma humana que fazem da mentira e da traição uma profissão. Enquanto nada disto for feito, podem ter a certeza que não só não sairemos do pântano de podridão moral onde estamos atolados, como também só veremos a nossa situação colectiva piorar cada vez mais.
_________________________________________________

Notas:
[1] ROBERTS, Paul Craig - In The Western World Lies Have Displaced Truth. Institute for Political Economy, 28 de Janeiro de 2018. Link: https://www.paulcraigroberts.org/2018/01/28/western-world-lies-displaced-truth/

João José Horta Nobre
4 de Fevereiro de 2018


quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

O Russia Insider Decidiu Finalmente Entrar no Clube Daqueles Que Contra Ventos e Marés Falam a Verdade, Custe o que Custar e Doa a Quem Doer




«Eles pensavam poder abafar e vencer a verdade, que é sempre vitoriosa, ignorando que a própria essência da verdade é que quanto mais quisermos comprimi-la mais ela cresce e se eleva.» - Jan Hus (1369 - 1415)

Parece que o Russia Insider decidiu finalmente entrar no clube daqueles que contra ventos e marés falam a verdade, custe o que custar e doa a quem doer. Charles Bausman, o editor-chefe do Russia Insider, está obviamente de parabéns pela sua franqueza que não podia ser mais directa e clara quanto ao assunto de que estamos aqui a falar: 




Nada disto acontece ao acaso ou por mera coincidência, antes pelo contrário, quem está atento aos media russos e à propaganda que o Kremlin dispara diariamente na direcção do Ocidente, não pode deixar de notar que de há um ano a esta parte, tem aumentado gradualmente a quantidade de notícias e reportagens que denunciam o papel da Judiaria Internacional na actual catástrofe geopolítica que tomou conta de grande parte do Mundo. 

A Sputnik e a RT - órgãos de informação directamente ligados ao Kremlin - não se têm cansado ultimamente de emitir conteúdos que indirectamente apontam o dedo ao lobby israelita que manda em Washington. Entretanto, há cerca de dois meses, reabriu-se novamente na Rússia a investigação em torno do assassinato da família real russa, que se suspeita ter sido um "assassinato ritual" levado a cabo por bolcheviques judeus. Por fim, temos agora o editor-chefe do Russia Insider a afirmar frontalmente que a partir de agora nada será como dantes e que a sua publicação irá passar a publicar reportagens que denunciam abertamente a responsabilidade das elites judaicas em muitos dos problemas que actualmente grassam no Mundo. Como eu escrevi mais acima, nada disto acontece ao acaso ou por mera coincidência....

O Presidente da Federação Russa, Vladimir Putin, sabe perfeitamente bem que quem está por detrás da tremenda campanha internacional contra a Rússia, são as elites judaicas e o lobby israelita que basicamente controla a Casa Branca e reduziu os Estados Unidos a uma colónia de Israel. Charles Bausman, o editor-chefe do Russia Insider, também sabe disto e é exactamente isso que o mesmo afirma sem reservas ou pudor. 




Com este golpe de mestre, um verdadeiro mata-leão no Mundo da guerra da informação e contra-informação actualmente em curso, Charles Bausman acaba de enfiar uma valente bofetada em todos aqueles que se recusam a nomear o inimigo pelo nome, mesmo quando sabem perfeitamente bem quem é esse mesmo inimigo. Claro que o medo de se perder o emprego ou ser prejudicado socialmente por "falar demais", explicam em grande medida esta postura cobarde da parte de muitos jornalistas e intelectuais, no entanto, nós já não estamos na década de 1990, mas sim, em 2018. Actualmente e graças à Internet, o debate é muito mais livre e aberto do que era há vinte anos atrás. Apesar dos esforços continuados das elites judaicas para censurar e controlar o que se diz e publica na Internet, apesar disto e mesmo assim, a Internet continua a ser um Mundo bastante livre e é hoje uma ferramenta essencial para se desmontar a narrativa oficial do "sistema", isto é, das elites judaicas que dominam quase por completo aquilo que se designa comummente por mainstream media

No seu essay de 5000 palavras que eu aconselho todos a lerem com extrema atenção, Charles Bausman não apenas denuncia a forma como as elites judaicas controlam jornais e revistas de grande influencia como o New York Times, o The Atlantic, a Newsweek, o The New Republic, o NY Review of Books, o New Yorker e a Economist (esta última directamente detida pela família Rothschild), mas também aborda a forma como a Revolução Bolchevique foi comprovadamente liderada e organizada nos bastidores por judeus sedentos de vingança, assunto este que David Duke já abordou em grande pormenor no seu excelente livro The Secret Behind Communism. O professor Antony C. Sutton também escreveu um livro - Wall Street And The Bolshevik Revolution - que apesar de não denunciar directamente o papel das elites judaicas na Revolução Bolchevique, aborda e denuncia a forma como o apoio dos banqueiros (judeus...) de Wall Street foi absolutamente crucial para que a Revolução Bolchevique tivesse conseguido triunfar

Devo também destacar o elogio que Charles Bausman faz à Alt-Right e aos esforços desta, que é de longe actualmente a única força político-social com algum relevo em todo o Ocidente, que ainda opõe alguma resistência à Nova Ordem Mundial e denuncia às elites judaicas que estão directamente por detrás da mesma:




Agradeço muito sinceramente estas palavras simpáticas de Charles Bausman. A Alt-Right nunca foi, nem é, um "movimento neonazi" como muitas vezes tem sido descrita pelos "lying media". Antes pelo contrário, a Alt-Right é, isto sim, a única força político-social no Ocidente que hoje resiste e luta contra a tirania sionista e é exactamente por este motivo que os media controlados pela judiaria internacional nos atacam e difamam 24/7 numa guerra sem quartel. Não há mais ninguém que faça o que nós fazemos. Ninguém. Nenhuma organização. Nenhuma religião. Nenhum movimento político ou social. A Alt-Right está totalmente isolada neste ponto e no Ocidente ela é a ÚNICA força político-social que ainda consegue opor alguma resistência minimamente séria às elites judaicas e ao seu mais do que óbvio plano para de mansinho e pouco a pouco, desmantelarem as nações e erguerem no seu lugar um governo mundial totalitário. É contra esta tirania e apenas contra esta tirania que nós lutamos e vamos continuar a lutar. Quem quiser juntar-se a nós e à nossa causa, será sempre bem vindo. 

__________________________________________

Notas:
[1] BAUSMAN, Charles - It's Time to Drop The Jew Taboo. Russia Insider, 15 de Janeiro de 2018. Link: http://russia-insider.com/en/its-time-drop-jew-taboo/ri22186 
[2] BAUSMAN, Charles - It's Time to Drop The Jew Taboo. Russia Insider, 15 de Janeiro de 2018. Link: http://russia-insider.com/en/its-time-drop-jew-taboo/ri22186 

João José Horta Nobre
17 de Janeiro de 2018


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...