quinta-feira, 4 de maio de 2017

A Coreia do Norte, a China e o Supremacismo Judaico


«Coreia do Norte ameaça 'punir sem piedade' Israel»


Mais importante ainda do que ter um arsenal nuclear e mísseis balísticos intercontinentais capazes de atingirem todo o território Estado-Unidense, é ter um arsenal nuclear e mísseis balísticos intercontinentais capazes de atingirem Israel e riscarem Jerusalém e a "Terra Santa" do mapa de uma vez por todas.

Kim Jong-un sabe perfeitamente bem que é a judiaria internacional que está discretamente a maquinar todo o ódio de Washington contra a Coreia do Norte. O lobby sionista e a canalha filo-semita que rodeia Trump, estão a fazer de tudo para tentarem sabotar o programa nuclear e de mísseis balísticos intercontinentais da Coreia do Norte. Felizmente, Kim Jong-un ou quem o aconselha parece que já percebeu o que realmente se está a passar e a própria China decerto também sabe que quem controla Washington é "a tribo" e não o povo americano. Tudo isto pode acabar muito mal, mas o essencial é garantir que se realmente tiver de acabar mal, que acabe mal para todos, isto é, que acabe em destruição mútua assegurada. Infelizmente, esta parece ser a única linguagem que os sionistas entendem. Não existe outra forma de dissuadir esta gente, a não ser tomando medidas que garantam que ou eles param, ou vamos todos colectvamente pelos ares e o planeta fica reduzido a um imenso deserto radioactivo. Qualquer nação que hoje deseje resistir à Nova Ordem Mundial, deve munir-se de armas nucleares e da tecnologia balística necessária para poder atacar qualquer zona do globo com essas armas a qualquer momento. Não há outra forma de dissuadir o cartel mundialista/globalista, a não ser por via da "destruição mútua assegurada", um conceito de defesa do tempo da Guerra Fria, mas que continua perfeitamente actual.

A Coreia do Norte, a par da Rússia e da China, são as únicas potências nucleares que hoje resistem seriamente às investidas da Nova Ordem Mundial. Sim, eu também não gosto da agressividade do Capitalismo chinês com laivos de Imperialismo, mas a verdade é que o governo chinês não é quem está a conspirar sob a capa da democracia para criar um governo mundial totalitário. Não é a China que anda a criar problemas por todo o Médio Oriente e a provocar ondas humanas de "migrantes" afro-islâmicos rumo à Europa. Não é a China que manipula e controla as pseudo-democracias ocidentais a seu belo prazer. Não foi a China que amputou o Kosovo à Sérvia e provocou toda a recente confusão e violência entre a Ucrânia e a Rússia. Também não foi a China que criou a União Europeia, que é em tudo uma experiência de laboratório onde estão a ser ensaiadas formas de controlo e engenharia social, que têm como objectivo final destruir por completo as nações e identidades nacionais europeias. Não, não foi a China que fez nada disto e é por isso que francamente já me mete nojo a paranóia anti-chinesa que anda por aí nos últimos tempos, nomeadamente por parte da administração Trump que eu inicialmente apoiei activamente, mas da qual prontamente me afastei a partir do momento em que se tornou claro que Trump não passa de mais um lacaio do "sistema".

A China, por mais defeitos que possa ter, não é a agressora, nem constitui de forma alguma uma ameaça existencial ao Ocidente. Quando muito, os chineses constituem uma ameaça regional e a "ameaça" que nos fazem limita-se ao campo da concorrência económica com as bugigangas baratas que produzem e exportam em massa. Nada mais. A verdadeira ameaça, essa sim, são os supremacistas judeus e o lobby sionista que está infiltrado em tudo o que é lugar de poder e tem agentes bem colocados em todos os governos ocidentais. Esta é que é a verdadeira ameaça. Este é que é o verdadeiro perigo. Foi por causa desta gente que os Estados Unidos atacaram o Iraque e a Líbia e hoje atacam a Síria. É o lobby sionista que está directamente por detrás de toda a provocação contra a Rússia. É o lobby sionista e os supremacistas judeus que desejam ver a Coreia do Norte desnuclearizada, porque temem que o Irão por via da colaboração com o regime de Pyongyang, possa vir a obter uma bomba atómica, algo que a acontecer inviabilizaria de vez o avanço do sinistro Plano Yinon. O lobby sionista e os supremacistas judeus é que são o problema, não é a pobre Coreia do Norte, nem a China e muito menos a Rússia.

Isto chegou a um ponto de tal, que do Ocidente eu confesso que já não espero grande coisa, pois o lobby sionista possui neste momento um controlo quase total sobre a maioria dos governos ocidentais. No entanto, a Ásia é uma conversa completamente diferente e já se tornou mais do que claro que os sionistas metem literalmente "os pés pelas mãos" quando se trata de lidar com asiáticos. Os supremacistas judeus dão-se mal com a Ásia porque simplesmente não a conseguem compreender e é normal que não a compreendam. É perfeitamente de esperar que gente que faz do jogo sujo, da baixaria imunda, da mentira e da calúnia um modo de vida e uma estratégia política, não consiga compreender povos com conceitos de vida, honra e dedicação patriótica bastante elevados como é o caso dos povos asiáticos. Eu se fosse George Soros ou um membro da família Rothschild, começaria neste momento a ficar seriamente assustado, porque é mais do que óbvio que os chineses e norte-coreanos já perceberam a fisgada de Sião e estão determinados a resistir-lhe custe o que custar. Nós já não estamos no século XIX e a China  já não é um País tecnologicamente estagnado no tempo e incapaz de responder à agressão externa. A brincadeira e o gozo para a judiaria internacional acabaram-se de vez, porque daqui para a frente podem todos ter a certeza de que a conversa vai ser a sério. 

João José Horta Nobre
4 de Maio de 2017
 

13 comentários:

  1. Pensava que o João tinha um ódio de morte a Putin e à Santa Rússia ahahah, passou rápido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério? E afirma isso a propósito do quê?

      Eliminar
    2. "Santa" russia:

      _Campeã europeia em abortos
      _Em divórcios
      _mae solteiras
      _ Alcoolotras
      _ viciados em drogas ilicitas
      _prostituição
      _Etc etc

      Só mesmo com muita propaganda soviética na cabecita pra russia ser toda como conservadora.

      Eliminar
  2. Eu continuo a achar que possibilidade de os EUA atacarem a Coreia do Norte é tão remota como a de haver petróleo no meu quintal. Os generais norte-americanos têm muitos defeitos, mas a estupidez não é um deles.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Afonso, eu também não julgo que os generais norte-americanos sejam lunáticos a ponto de quererem mesmo arriscar um holocausto nuclear atacando a Coreia do Norte. O problema, no entanto, é o Kushner e a seita demente a que o mesmo alegadamente pertence:

      https://www.henrymakow.com/Kushner-Belongs-to-Fanatical-Jewish-Doomsday-Cult.html

      Se isso que o Henry Makow afirma for mesmo verdade, o Afonso já imaginou o perigo que é termos um tipo como Kushner na Sala Oval e influenciar directamente o Presidente dos EUA?...

      Eliminar
  3. ELES SO FORAM NO IRAQUE E AFEGANISTÃO POR QUE NÃO TINHAM NEM DEFESA ANTI AEREA NA EUROPA SO FORAM QUANDO STALINGRADO OCORREU E ENTRARAM A FORÇA COM MEDO DO LESTE TOMAR TUDO NO JAPÃO FICARAM COM MEDO DA INFANTARIA JAPA E GUERRILHA EM HONSHU E APELARAM NA LIBIA E SIRIA APELARAM PRO DO COSTUME

    ResponderEliminar
  4. SO SE MOSCOU OU CATAI FOSSE BURRA PRA DEIXAR OS AMERICANOS METEREM MAIS BASES E AGORA DE FRENTE PRA VLADIVOSTOK E HARBIN-BEIJING

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os russos e chineses não são estúpidos. A "festa" para os sionistas que mandam em Washington acabou-se de vez.

      Eliminar
  5. A História revela a origem das crueldades dos que podem ser chamados de terroristas no sentido conceitual do termo:
    *
    - Harry Truman ordenou os ataques com bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki... Bush ordenou a destruição do Afeganistão e do Iraque... Obama & Hillary Clinton ordenaram a destruição da Líbia... Os EUA gastaram mais de cinco bilhões de dólares para desestabilizar a Ucrânia... E a Síria ? E o Vietnam ? E a Coreia ? E o Yemen, a Somália e o Sudão ? E as ditaduras na América Latina nos anos 60, 70 e 80 ? E as mil bases militares assassinas pelo mundo afora ? E Guantánamo ? E Abu Graib ? Aff… Hitler é fichinha… - Isso é indefensável !...
    *
    - Para consolidar a certeza da ação do império do mal basta ler estas duas frases abaixo entre aspas, que são do 33º. Presidente dos EUA em 1945 e foram lembradas por Oliver Stone e Peter Kuznick, no bestseller The Untold History of United States, quando...
    *
    - Harry Truman assim se referiu a Hiroshima: "Este grandioso acontecimento da história da humanidade". Acrescentando: "Informar a explosão foi a mais feliz declaração feita em toda minha vida".
    *
    - Quem torce pelos EUA está desinformado ou de má fé. Uma opinião qualquer, certa ou errada, é apenas uma simples opinião; mas quando nós apresentamos fatos históricos concretos, reais, verdadeiros, ninguém pode contestar. É por esta razão que as mentiras ocidentais se desmoralizam a cada dia que passa. A humanidade, felizmente, caminha firme para um Mundo multipolar !
    *
    http://www.youtube.com/watch?v=14YWtPlKtlI
    *
    Quando seu tempo permitir, peço-lhe que pesquise, no Google, sobre a existência do super vulcão no Parque de Yellowstone, noroeste dos EUA, nos Estados de Idaho, Montana e Wyoming. O imperialismo é vencível pela Rússia, pela China, pela Índia e até mesmo pela Coreia Popular. Uma explosão termonuclear na caldeira do Yellowstone destruiria 2/3 dos EUA. Não estou dando uma opinião nem desejando que isso aconteça; trata-se de uma constatação. Acesse o link abaixo e tire suas próprias conclusões:
    *
    http://g1.globo.com/.../supervulcao-de-yellowstone-25...

    ResponderEliminar
  6. https://youtu.be/o8tEQA17Db8

    Le pen perdeu por trair a base do front nacional . Le pen era o pior de dois males.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o que é que isso tem a ver com a temática deste artigo?

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...