segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Assim se Fabricam os "Santos Incorruptíveis" da Igreja...

 A múmia embalsamada do Papa João XXIII

Não são apenas os comunistas que gostam de preservar cadáveres como se fossem pickles em conserva. A Igreja Católica anda a fazer o mesmo há muito tempo e historicamente tem recorrido a toda a espécie de mentiras e malabarismos, de forma a enganar o povo e mantê-lo agarrado à fraude monumental que é o Cristianismo. Sim, isso mesmo, FRAUDE e se pensarem um pouco na premissa básica da religião cristã, poderão constatar por vós próprios que se trata de fraude e vigarice em toda a linha. 

E qual é  a premissa básica a que me refiro? Bem, basicamente a de que os cristãos acreditam que um judeu que foi executado pelo Império Romano, era o filho do Deus dos judeus. Ora, quem ler o Antigo Testamento, pode constatar por si que o Deus dos judeus é vil, racista, maligno e absolutamente demoníaco. Este Deus, é o mesmo Deus que proclamou a tribo de Israel como sendo superior a todas as outras e que proíbe explicitamente o casamento dos judeus com não judeus. Não é preciso ler-se o Talmude para se perceber o que é o Supremacismo Judaico, basta ler-se o Antigo Testamento que está lá tudo. Os responsáveis pela compilação da Bíblia, provavelmente julgando que o povo seria analfabeto para sempre, deixaram na mesma as provas do crime... É só abrir e ler que está lá tudo bem clarificado preto no branco. A origem judaica do Cristianismo é absolutamente inegável, assim como é o facto do Deus dos cristãos, ser exactamente o mesmo Deus dos judeus. A única grande diferença entre ambas as religiões, é que os cristãos acreditam que Jesus foi o Messias enviado à Terra, ao passo que os judeus ainda aguardam e com razão pelo Messias. 

E porque digo eu que os judeus têm razão em aguardar pelo Messias? Porque de acordo com a tradição judaica, é simplesmente inconcebível que Jesus possa ser o Messias. Jesus não reconstruiu o templo de Jerusalém, nem trouxe a paz perpétua à Terra e também não unificou os povos da Terra sob a liderança do "povo eleito". Por este mesmo motivo, Jesus não pode ser o Messias. Para se ser Messias, é preciso cumprir determinados requisitos e o facto é que Jesus não cumpre um único desses requisitos. Nada. Zero. Chapéu. Segundo a própria Bíblia, Jesus limitou-se a fazer truques de magia, a andar pela "terra santa" a pregar sermões e a contar parábolas. Por fim, dizem que ressuscitou e ascendeu ao "Reino dos Céus". Aviso para os cristãos: o Messias não pode ressuscitar e ir-se embora sem cumprir a sua missão completa na Terra. De acordo com a tradição judaica, quando o Messias vier à Terra, ele tem de ficar na Terra até realizar a reconstrução do templo de Jerusalém, unificar os goyim e trazer a paz perpétua. Qualquer pessoa que estude um pouco a doutrina judaica, percebe facilmente porque é que os judeus recusaram Jesus e eu muito sinceramente neste aspecto, compreendo os judeus. O povo de Israel, por mais defeitos que possa ter, tem razão em rejeitar Jesus como Messias, pois Jesus simplesmente não pode ser o Messias. É até ofensivo querer impingir aos judeus a ideia de que Jesus possa ser o Messias. Eu se fosse judeu também me sentiria ofendido com tamanha idiotice.  

Mas o mais absurdo de tudo, é os cristãos acreditarem que o Deus dos judeus, a partir de certa altura mudou subitamente de ideias, deixou de ser um racista e passou a amar incondicionalmente todos os goyim, circuncidados ou não. De seguida, enviou-se a si próprio à Terra na forma de um filho-pai, sendo que este filho-pai, posteriormente se deixou crucificar a si próprio pelos romanos, de forma a que ele próprio pudesse perdoar os pecados da Humanidade e salvar a mesma. Por favor não tentem encontrar lógica nisto, porque não a encontrarão. Isto é demência aplicada. A teologia cristã é obra de lunáticos, desculpem eu ser tão cru nas minhas palavras, mas esta é a verdade. 

Para mim, a questão nunca foi a existência ou não de Deus, mas sim, o facto de eu me recusar a prestar vassalagem ao Deus dos judeus e não ter medo de o dizer abertamente. Quem tem orgulho em pertencer a uma Civilização que produziu Übermensch como Viriato, César e Vercingetórix, não se verga a crenças de semitas, nem se rende ao Deus da tribo de Israel. Ponto.

João José Horta Nobre
27 de Fevereiro de 2017

5 comentários:

  1. uma questão porque razão o Daesh nunca atacou Israel? é algo que me intriga bastante, será por uma questão de financiamento logistico?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É possível. Mas principalmente, acredito que é mesmo por uma questão de razão básica. O Estado Islâmico sabe que os israelitas têm o melhor treinado, melhor equipado e melhor financiado exército da região. O líder do Daesh é doido, mas não é assim tão doido, ele sabe que se atacasse Israel, as represálias poderiam ser devastadoras para o Estado Islâmico.

      Mas que Israel está a adorar a destruição provocada pelo Daesh na Síria e no Iraque, dois grandes aliados do Irão, disso eu não tenho a mínima dúvida. Isto está em linha com o que dizem ser o lema da Mossad: "By way of deception, thou shalt do war."

      Eliminar
    2. Mas que há grupos radicais islâmicos que foram totalmente armados e treinados pelos governos ocidentais controlados largamente por ultra-sionistas, disso eu não tenho a mínima dúvida. O lobby judaico não perdoa:

      http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/09/alguem-me-explique-o-que-e-que-os.html

      Eliminar
  2. Parabéns José Horta!Concordo com você! Algum "nazista" já disse há muito tempo que o Cristianismo e o Comunismo são duas Invenções Judaicas! Um abraço.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...