domingo, 15 de janeiro de 2017

Não é a ONU, Mas Sim, os Supremacistas Judeus



Orlando Braga escreve aqui que "existe um plano da ONU de genocídio dos brancos". O problema, a meu ver, é que há aqui um erro e trata-se de um erro bastante grave. Não é a ONU que quer exterminar "os brancos". São os supremacistas judeus. As coisas têm um nome e de nada adianta tentar esconder o que já não é possível esconder.

A esmagadora maioria dos cristãos, como é claramente o caso do Orlando Braga, têm pavor de admitir que quem realmente está a puxar os "cordelinhos" do sistema, são na realidade judeus racistas que almejam o domínio do globo. Ora, como não conseguem admitir o óbvio, fazem depois figuras ridículas dizendo que é a "ONU" ou os "islâmicos" ou ainda os "Illuminati" que almejam dominar o Mundo por via de uma grande conspiração.

A ONU, é apenas um dos muitos braços do polvo mundialista controlado por supremacistas judeus, assim como a maçonaria, os partidos comunistas e liberais, alguns partidos ditos "nacionalistas", milhares de ONG's, bancos, empresas e redes de máfia organizada são outros braços do polvo mundialista. Toda esta estrutura é coordenada por pessoas que podemos designar como sendo a "Superclasse Mundialista". Esta Superclasse Mundialista é quem se reúne ocasionalmente nos encontros do Grupo Bilderberg, da Comissão Trialateral, entre muitas outras reuniões secretas de cuja existência nós nem temos conhecimento. A Superclasse Mundialista é por sua vez controlada através da infiltração estratégica de posições-chave, por supremacistas judeus que discretamente a vão manipulando, e que ao mínimo pressentimento de ameaça expulsam da mesma qualquer membro.

A actual "ameaça islâmica", na verdade, foi artificialmente criada por esta elite mundialista e a prova disso é ver como foi esta gente que passou as últimas décadas a importar imigrantes do Terceiro Mundo em massa para dentro da Europa, sabendo já de antemão os gravíssimos problemas sociais que isso eventualmente iria gerar. De seguida, foi esta mesma gente, que decidiu destruir os regimes nacionalistas árabes no Médio Oriente - o Iraque de Saddam Hussein, a Líbia de Gaddafi - que eram quem conseguia ainda manter alguma ordem e controlo na região. O governo da família al-Assad na Síria é o último destes regimes e é o único que ainda resiste, com o apoio essencial da Rússia, caso contrário, também ele já teria vindo abaixo. Ora, tudo isto foi feito com o objectivo de desestabilizar propositadamente todo o Médio Oriente a favor de Israel e criar ondas humanas de refugiados islamo-africanos rumo à Europa. Na prática, trata-se de criar a ordem a partir do caos. A Nova Ordem Mundial, isto é, o governo mundial totalitário, para ser erguido, necessita primeiro de criar o caos total, de forma a enfraquecer as nações e torná-las vulneráveis aos falcões do internacionalismo militante.

Parece-me a mim inegável que é a "mão invisível" do supremacismo judaico que está a dirigir toda esta estratégia de morte e terror a partir das sombras. Quem negar isto ou não está a ser racional na análise dos factos, ou então não é intelectualmente honesto. 

Quanto aos "Illuminati", por favor deixem-se de lunatismos delirantes. Os Illuminati foram uns grupinhos de intelectuais do século XV que já há muito se extinguiram e que entretanto, se transformaram nos últimos anos num bode expiatório perfeito para os supremacistas judeus. Abundam no mercado as "teorias da conspiração" sobre Illuminati's sedentos de vingança contra todos e mais alguns. Posso-vos, no entanto, garantir que isso é tudo mentira. Não existe nenhum grupo de Illuminati que seja realmente uma ameaça neste momento. A ameaça real e perigosa, essa sim mesmo muito perigosa, são os supremacistas judeus e os seus respectivos lacaios

João José Horta Nobre
15 de Janeiro de 2017


7 comentários:

  1. Portugal recebe mas refugiados que Espanha como he' um País rico recebe esta gente que nao tem oficio apenas sabem pegar em armas e pouco mais . Equanto os portuguses dormem no tunel do marques de Pombal ha' chuva e ao frio sem o Governo se importar. estes refugiados lhe dam comida e casa com tudo pago ha' conta dos pobres portugueses . Nos' os portugueses i esta gente que no seu País sao uns machistas que las mulheres no tienem direitos que veem para nosso País que praticam uma religiao muito diferente da nossa
    so' nos vao trazer problemas....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não são refugiados de coisa alguma, mas sim gente que apenas sabe pegar em armas. É curioso que não vão para países muçulmanos ou árabes, porque lá tinham de trabalhar para sobreviver, mas sim para a Europa onde tudo lhes é oferecido inclusive dinheiro para nada fazerem.

      Eliminar
    2. o problema nao é ajudar os refugiados , o problema é nao os repatriar depois dos conflitos nos seus paises terminarem , coisa que os testas de ferro do capitalismo selvagem , nao querem . todos sabemos que esses testas de ferro (esquerda/direita) , tem interesse nessa mao de obra barata !

      Eliminar
    3. Mão de obra barata???
      Eles nem trabalham. Quantos estão a trabalhar do mais de milhão e meio que entrou na Alemanha no último ano?
      55! E em organizações ligadas à importação de refugiados/invasores.
      Os internacionalistas, esses sim. Algum patrão quer empregados deste calibre...

      Eliminar
  2. Acho que "illuminati" é uma descrição conveniente para descrever o topo da plutocracia cabalista.

    ResponderEliminar
  3. O que me parece certo é que a "cabala" terá começado pelo século 18(pelo menos de forma organizada)antes da revolução francesa,ou seja pela altura dos illuminati bavarianos.

    ResponderEliminar
  4. Caro JJHN


    A melhor maneira de correr com os pseudo-refugiados que estão nos países europeus e que tentam chegar cá passa pelos Estados europeus gastarem menos do que recebem, para isso devem implementar rapidamente reformas estruturais. Curiosamente estas reformas estruturais irão ajudar a desmantelar as bases de sustentação da esquerda.

    Eis a lista actualizada:

    Abolição do salário mínimo
    Liberalização dos despedimentos
    Abolição dos descontos
    Pagamento do verdadeiro custo da água e energia pelo utilizador
    Pagamento do verdadeiro custo de educação e saúde pelo utilizador
    Liberalização (facilitação, desregulamentação) do acesso às profissões liberais
    Liberalização das rendas
    Sujeição a IRC a todas as pessoas colectivas
    Simplificação do IRS com sujeição individual, taxa única, sem deduções e abatimentos
    Taxa única no Iva
    Desmantelar o sistema escolar com o e-learning
    Varrer a função pública
    Extinção das juntas de freguesia
    Redução do número de deputados
    ...
    ...
    ...

    ...

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...