sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

A Europa Ocidental só Tem Dois Caminhos Possíveis



A Europa Ocidental só tem, neste momento, dois caminhos possíveis: ou o Laicismo Radical, ou a Islamização.

A morte do Cristianismo na Europa Ocidental, facto que já está praticamente consumado, vai deixar um vazio espiritual e cultural na Europa, que a bem, ou a mal, terá de ser preenchido. Ou o Estado impõe um Laicismo Radical e autoritário, simultaneamente defendendo a família tradicional e os valores tradicionais, ou será o Islão a impor a sua Nova Ordem totalitária. Não existe outro caminho possível.

Nós estamos a viver um período de transição civilizacional que irá, independentemente do resultado final, ser extremamente doloroso. O demo-liberalismo vai acabar, quer queiram, quer não. A democracia está a viver os seus dias finais na Europa, pois o caos para onde estamos actualmente a caminhar é de tal forma complexo e brutal, que não será possível solucionar nada operando dentro das regras da mesma. Restam portanto as ditaduras, que inevitavelmente vão fazer o seu regresso e que serão islâmicas ou laicistas radicais. Há ainda uma terceira hipótese, que é a guerra civil sem fim à vista, transformando-se assim a Europa inevitavelmente numa Somália em estado de anarquia permanente. Porém, conhecendo a natureza dos povos europeus como eu a conheço, acredito que o desfecho mais provável, após alguns anos de conflitos muito violentos, limpezas étnicas e inúmeros massacres, serão ditaduras de carácter laico a puxar para o radical. Uma das consequências inevitáveis do terror que se irá abater sobre a Europa, é a fermentação de um grande ódio à religião entre a população. Nada que, de resto, me espante, pois as pessoas não são estúpidas e vão acabar por perceber que a religião - principalmente as religiões abraâmicas - é a causa da nossa desgraça toda.
 
Deixo aqui um conselho para todos: Se vocês tiverem amor à vida e apenas à vossa vida, façam as malas e saiam da Europa Ocidental o mais depressa que puderem, salvem-se enquanto ainda vão a tempo. Pelo contrário, se têm amor à Europa e à vossa Pátria, fiquem. Eu já tomei a minha decisão: vou ficar e não tenho quaisquer intenções de me render ou retirar seja para onde for. 

Como não devo voltar a escrever mais neste blog até ao próximo ano, desejo a todos os meus leitores uma boa entrada em 2017. 

João José Horta Nobre
30 de Dezembro de 2016


quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Nas Filipinas os Corruptos Vão Passar a ir "Passear" de Helicóptero

Rodrigo Duterte, "apenas" o melhor Presidente que as Filipinas alguma vez tiveram e um modelo a seguir para todos os patriotas que se prezem.
 

O grande líder nacionalista, Rodrigo Duterte, veio demonstrar mais uma vez como se governa uma Nação de forma moral e sadia. Depois de já ter afirmado anteriormente que os traficantes de droga é para serem abatidos e que ele próprio já matou alguns pessoalmente, agora veio propor que se atirem os cidadãos corruptos de helicópteros:













A lógica disto é esmagadoramente simples, ou seja, para quê estar a gastar recursos do erário público em demorados processos judiciais para julgar corruptos, quando se pode simplesmente enfiar esses mesmos corruptos (que todos sabemos sempre quem são...) num helicóptero e de seguida empurrá-los porta fora?

É isto mesmo que faz falta em Portugal, um Duterte que rasgue a Constituição da República em pedaços e uma frota completa de helicópteros, que leve alguns meninos da nossa praça a darem uns "passeios" sobre o Oceano Atlântico...


João José Horta Nobre
29 de Dezembro de 2016
 

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Reflexões Sobre a Religião - Parte I



"As religiões, assim como as luzes, necessitam de escuridão para brilhar." - Arthur Schopenhauer (1788 - 1860)

Houve um tempo, já muito longínquo, mas houve um tempo em que a religião era uma coisa bastante colorida. Deuses e Deusas de toda a espécie e para todos os gostos, uma mitologia riquíssima e extremamente bem regada de imaginação criativa, tudo encimado por rituais que possuíam uma carga mágica sempre acompanhada de uma dose bem forte de mistério oculto. Eram assim as religiões - essencialmente identitárias - que governavam e mantinham o equilíbrio do Mundo na Antiguidade.

Devo dizer antes de ir mais longe, que é precisamente na Antiguidade que reside a fonte da melhor e mais equilibrada sabedoria que o Mundo alguma vez viu. A esmagadora maioria das neuroses de que padece o Mundo contemporâneo, poderiam ter sido evitadas de raiz, se a Humanidade não tivesse enveredado por caminhos obscuros e contra-natura no campo da fé.

Não se sabe bem quando, mas por volta de há uns 4 mil anos atrás, começou-se a desenvolver na região onde actualmente se encontra o Estado de Israel, uma religião - o Judaísmo - que ao contrário de todas as outras até então concebidas, afirmava que só existia um único Deus e que o povo hebreu era o "povo eleito" desse mesmo Deus. Até aqui tudo bem. Cada um deve ter o direito a seguir a crença que bem entender na sua terra. Se um dado povo quer acreditar que ele é especial e superior a todos os outros povos do planeta, isso a mim não me incomoda minimamente, desde que tal crença fique confinada ao território desse mesmo povo. O problema, portanto, só começou quando a "coisa" monoteísta e judaica começou a derramar para fora...

Como inevitavelmente acontece, mais tarde ou mais cedo, a todos os movimentos políticos e religiosos, também o Judaísmo na sua forma mais original e pura, se acabou por cindir em várias fações, correntes e seitas. Chamemos a estas novas tendências os "neo-judaísmos", pois é exactamente disso que se tratam. Foram muitas as seitas religiosas que derivaram do Judaísmo, sendo que a maioria entretanto se esfumou nas brumas do tempo, perdendo-se assim para sempre. Porém, houve dois neo-judaísmos que se destacaram de todos os outros, como é óbvio, estou a referir-me aqui ao Cristianismo e ao Islão, religiões directamente descendentes do Judaísmo e que são comummente conhecidas como as "religiões abraâmicas", precisamente por terem a sua origem comum reconhecida em Abraão.

Estas religiões abraâmicas, em geral, são uma antítese dos politeísmos que a Europa conheceu anteriormente. Tanto o Cristianismo, como o Islão, por onde quer que tenham passado na Europa, aboliram os Deuses e Deusas étnicos de cada povo indígena e trataram logo de os substituir por um único Deus, judaico de origem e que os abraâmicos garantem todos ser uma "boa" criatura que não hesitará em queimar-vos para toda a eternidade nos fogos mais horripilantes do inferno, se vocês não lhe obedecerem cegamente. 

Os rituais das antigas religiões étnicas a que os abraâmicos depreciativamente chamam de "paganismos", foram substituídos por outros rituais, dedicados acima de tudo a instilar o terror nos corações dos crentes. A tradicional tolerância pagã para com "pecados" relativamente levianos e comuns à natureza humana, foi substituída pela dureza da lei judaica, intolerante, castigadora, vingativa e totalitária. A única religião abraâmica que foge um pouco a esta regra, é o Cristianismo, que apesar de ser uma religião claramente muito mais tolerante do que o Judaísmo ou o Islão, não deixa também de advertir que há pecados que são "mortais" e que o inferno é para onde vão as almas dos pecadores sem salvação possível.

Qualquer pessoa minimamente honesta do ponto de vista intelectual, que já tenha estudado mitologia religiosa, sabe que a mitologia judaica é uma das mais pobres e fracas na face da Terra. Não é só a mitologia greco-romana e a egípcia que é muito superior à mitologia hebraica. Mesmo até a mitologia dos "bárbaros" celtas e das tribos germânicas e eslavas, é muito superior à mitologia dos hebreus. As lendas produzidas pela mitologia dos egípcios, gregos, romanos, celtas, etc... estão repletas de heróis, virtudes e orgulho, sendo só por si um verdadeiro hino ao Nacionalismo Místico. Pelo contrário, a mitologia judaica é muito pobre, direi que a palavra adequada para a descrever mesmo é "seca". A mitologia judaica é uma baixa mitologia e o resultado - as religiões abraâmicas - é igualmente pobre. 

Há alguns dias atrás estava a ler uma pequena intodução à Jefferson Bible e a mesma afirmava que Thomas Jefferson considerava o sistema ético de Jesus, como sendo o mais avançado que o Mundo alguma vez conheceu. Pessoalmente, eu não nego que a ética de Jesus tenha as suas virtudes, porém, tudo aquilo, repito, TUDO o que Jesus "desenvolveu" a nível ético e moral, já tinha sido anteriormente desenvolvido por filósofos da muitíssimo antiga Civilização Chinesa, do Antigo Egipto e da Antiga Grécia. Jesus não introduziu absolutamente nada de novo em termos éticos ou morais, antes pelo contrário, limitou-se a repetir o que já havia sido dito por outros grandes pensadores do Mundo Antigo. Aliás, quando Jesus começou a pregar "a paz e o amor entre os homens" na Galileia, já Gautama Buddha tinha feito relativamente o mesmo cerca de quinhentos anos antes na Antiga Índia. Confúcio, mais ou menos pela mesma altura, repetiu a proeza na Antiga China e diga-se de passagem que o sistema ético confuciano, em termos de complexidade encosta o de Jesus a um canto. Cristo, basicamente, foi a versão judaica de Buda e Confúcio e tal como a mitologia hebraica é mais pobre do que a mitologia indiana ou chinesa, também o sistema ético de Jesus é mais simples do que o de Buddha ou Confúcio. A inferioridade da cultura judaica, anda de mãos dadas com a inferioridade da doutrina de Jesus, que não consegue competir minimamente com a dos dois gigantes da Ásia espiritual. Mesmo até Sócrates que morreu envenenado com cicuta, era provavelmente superior a Jesus em termos de filosofia. Aristóteles, idem. 

Hitler escreveu no Mein Kampf que os judeus eram um povo destruidor de culturas. Hitler estava errado. Na verdade, os judeus, ou melhor, o Judaísmo e seus derivados, são acima de tudo destruidores de religiões politeístas e a prova disso é como onde quer que as religiões abraâmicas tenham tocado, não tardou a que estas se impusessem de forma totalitária à sociedade, exterminando por completo, ou quase por completo as religiões politeístas que antes eram ali triunfantes. Não houve um único recanto da Europa ou do Médio Oriente que tivesse ficado livre desta praga espiritual. Da Europa, a doença abraâmica espalhou-se para o "novo Mundo", onde sem dó, nem piedade, humilhou e destruiu largamente as tradições religiosas dos povos americanos e africanos. O mesmo que as religiões abraâmicas já haviam feito na Europa, fizeram-no fora de Europa. Por isso, se alguém quiser encontrar um antecessor ideológico para o Totalitarismo Comunista e Nacional-Socialista, pode encontrá-lo nas religiões abraâmicas, começando logo pelo próprio Judaísmo. Actualmente temos o Estado Islâmico como exemplo perfeito de como seria uma sociedade governada por abraâmicos que detivessem o poder absoluto na mão. Que sirva de aviso...

Recordo-me de em criança ter visitado muitas igrejas. Não sei porquê, mas houve uma altura da minha vida em que eu parecia que andava a fazer turismo religioso. Apercebi-me ao fim de certo tempo que, na sua maioria, as igrejas eram locais aberrantes e bastante doentios. Ali, pregado a uma cruz - um instrumento de morte e tortura do Estado Romano - estava a imagem de um homem ferido de morte. O ambiente escuro e a cheirar a mofo da Igreja, em conjunto com a imagem de Jesus crucificado, era e é uma coisa profundamente mórbida, diria até assustadora para uma criança. Imaginem só se Jesus tivesse sido executado numa cadeira eléctrica? Iriam nesse caso as igrejas exibir imagens de Jesus a ser electrocutado na cadeira?... Francamente, a insanidade também tem de ter limites...

Depois, a somar-se a isto, há as "relíquias" com restos de cadáveres naturalmente mumificados de supostos "santos". Se vocês alguma vez tivessem tido contacto com o mundo funerário como eu tive por motivos familiares, iriam perceber que os tais "santos incorruptíveis" da Igreja, não mais são do que cadáveres ou restos de cadáveres que foram naturalmente mumificados pelo clima e o meio envolvente onde a carne foi colocada após a morte. A saponificação é apenas um entre muitos outros desses processos de mumificação natural que tanto podem ocorrer em climas quentes, como em climas frios.

Do ponto de vista natural, acredito que as religiões abraâmicas são muito mais desligadas da natureza, do que as antigas religiões pagãs, por um motivo que eu julgo muito simples de entender e que passo a explicar: Observe-se o Universo e a natureza à nossa volta. Quando fazemos tal, constatamos que existem no Universo e na natureza várias forças em jogo. Não existe uma única força, mas sim, um conjunto de forças, por vezes antagónicas entre si e que se relacionam entre si, umas vezes harmoniosamente, outras de forma violenta. Basta que se conjuguem as forças naturais adequadas para que tenhamos uma noite de trovoada, a título de exemplo. Ora, quando os antigos falavam em "Deuses" e "Deusas", eles estavam-se a referir metafóricamente a estas mesmas forças da natureza. É por isso muito mais fácil de se compreender o Universo de uma perspectiva politeísta, do que de uma perspectiva monoteísta. O monoteísmo pressupõe que existe apenas um único Deus que, à semelhança de um tirano, tudo comanda e tudo dirige, ou seja, que há uma única força da natureza em jogo. Esta ideia, este conceito monoteísta e eminentemente judaico, para além de ser totalitário, atenta contra a própria realidade empírica do Universo, pois para mim é mais do que óbvio que existem várias forças ocultas no Universo - estamos aqui a entrar no campo da metafísica - que concorrem constantemente entre si. A luta entre o bem e o mal, no fundo, é exactamente isto e por vezes, demasiadas vezes, custa muito a perceber de que lado está o bem e de que lado está o mal...

João José Horta Nobre
28 de Dezembro de 2016

sábado, 24 de dezembro de 2016

Celebrar o Nascimento de Cristo é Honrar um Inimigo da Europa

O Imperador Flávio Cláudio Juliano (331 a.C. - 363 d.C.). Este foi o último Imperador pagão do Império Romano e ao contrário dos seus antecessores, ele compreendeu a fundo o grande problema que iria ser o Cristianismo para a Europa. Juliano não se limitou a odiar a religião cristã, combateu-a também activamente e quis expulsá-la do Império, tendo legislado nesse sentido. Reinou apenas dezoito meses, o que levanta fortes suspeitas sobre a possibilidade de o mesmo ter sido assassinado por algum zelota ao serviço de Judeia (a versão oficial diz-nos que morreu em combate), precisamente devido à sua acção anti-cristã. O Cristianismo, basicamente, foi o Comunismo do Mundo Antigo e a sua disseminação entre os "goyim" sempre foi totalmente do interesse dos supremacistas judeus, mesmo que eles não o admitam e digam o contrário. 


Hoje é o dia 24 de Dezembro, o momento é portanto adequado para se falar da religião cristã e de como a mesma se disseminou em solo europeu, tudo à custa de múltiplas traições por parte da elite e de um muito bem organizado movimento subversivo, liderado a partir da sombra por supremacistas judeus que progressivamente minaram o Império Romano de dentro para fora.


O trecho acima, é uma pequena síntese de como o Cristianismo foi imposto a ferro e fogo aos nossos antepassados, que desde tempos imemoriais eram politeístas - a alma espiritual da Europa sempre foi politeísta - mas deixaram de o ser por vontade das elites que infiltradas por influências semitas, declararam guerra aos Deuses ancestrais. O resultado de todo este despautério acabou por ser a legitimação oficial de uma seita médio-oriental fundada por um judeu criminoso, que havia sido excetuado pela Lei Romana precisamente por ser um criminoso (com certeza que não foi por andar a vender rebuçados na rua que os romanos mataram Jesus...). 


Para quem não sabe, pois a Igreja Católica fez questão de lavar a cabeça da população a fundo, os motivos que levavam os pagãos romanos a rejeitar o Cristianismo eram essencialmente sete e podem resumir-se sucintamente da seguinte forma:

1 - A doutrina cristã da "ressurreição" é simplesmente absurda.
2 - Existem demasiadas contradições nos textos cristãos.
3 - O Cristianismo faz o culto a um criminoso condenando e executado pelo Estado Romano. 
4 - O Cristianismo é uma doutrina religiosa anti-patriótica. 
5 - Os cristãos praticam o incesto (o incesto e a pedofilia são elementos comuns nas culturas dos povos semitas e seriam uma prática vulgar entre os cristãos primitivos.)
6 - Os cristãos praticam o canibalismo (o acto de simbolicamente se beber "o sangue de Cristo" e comer a "carne de Cristo", era vista como canibalismo pelos pagãos romanos.)
7 - O Cristianismo leva à destruição da sociedade (o facto é que a disseminação e alastramento do Cristianismo no Império Romano, foi acompanhada de um simultâneo declínio do mesmo. Não é por isso errado afirmar-se que o Cristianismo teve um papel de destaque na queda de Roma.)

A Igreja quase nunca fala disto e quando fala, mente e distorce a verdade, pois o que interessa é manter a charada judaica que é o Cristianismo a funcionar, lavando mais cabeças e doutrinando a população com ideias internacionalistas e derrotistas. 

A doutrina cristã é uma falsa doutrina e muito à semelhança daquilo que o Comunismo fez no século XX, também o Cristianismo infiltrou as nossas elites e tomou conta de posições estratégicas de poder, a partir das quais lançou um assalto total contra a sociedade. No fundo, isto é apenas a forma de operar dos supremacistas judeus que sempre se pautaram pelo mesmo modus operandi. Jesus não é "Messias", nem "salvador" de coisa nenhuma, é e sempre foi o nosso inimigo comum e é um inimigo porque a doutrina por si criada nada mais é do que um internacionalismo elevado a um complexo, mas contraditório sistema de crença no sobrenatural.  

João José Horta Nobre
24 de Dezembro de 2016
 

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Dentro de Alguns Anos Vamos Ter Novamente Campos de Concentração na Europa



Dentro de alguns anos vamos ter novamente campos de concentração na Europa. A situação está ao rubro e a caminhar para o desastre total, nada que eu já não soubesse, pois há anos que venho advertindo para a tragédia que se está gradual, mas seguramente a "cozinhar" na Europa. 

Por motivos profissionais, contacto quase a nível diário com portugueses que vivem em França e os relatos que me chegam de lá são assustadores a todos os níveis. A França está já neste momento em clima de pré-guerra civil. Quando a "coisa" rebentar e posso-vos garantir que vai rebentar, teremos novamente campos de concentração, limpezas étnicas, massacres e toda a restante galeria de horrores que fazem inevitavelmente parte de uma guerra civil e que os "bem pensantes" julgavam impossível de voltar a acontecer na Europa. Só mesmo quem não conhece a natureza humana e a história sangrenta da Europa, pode julgar que é impossível voltarmos a ter campos de concentração e extermínio na mesma. A minha única grande dúvida no meio disto tudo é se quem vai ser desta vez internado nos campos de concentração vamos ser nós ou eles...

Seja o que for e como for, tudo isto nada mais será do que um episódio na milenar guerra que os povos indo-europeus travam há milhares de anos contra os povos semitas que sempre nos odiaram e quiserem roubar, agredir e invadir. Como os semitas nunca conseguiram conquistar-nos pela via militar, dedicaram-se a criar ideologias político-religiosas que nada mais são do que venenos mentais, destinados a tentar tomar de assalto a cabeça dos europeus e levá-los a cair pela subversão. Foi neste contexto que surgiu o Cristianismo, o Islão e posteriormente as ideologias materialistas como o Liberalismo e o Comunismo. Actualmente é a ideologia de género, o gayzismo e o feminismo levado ao extremo. Tudo isto, toda esta depravação mental e moral é lixo ideológico semita que deve ser erradicado o mais depressa possível, de preferência, antes que se atinja demograficamente o ponto de não retorno. 

A nossa Civilização está neste momento à beira do colapso total e muito pouco tempo nos resta para travar a derrocada final, é bom que todos tenham consciência disto...

João José Horta Nobre
23 de Dezembro de 2016


Luís Miguel Fernandes Crespo a.k.a. "Leocardo" e "Lá Lá Cardo" (parte II)



Há algum tempo atrás apresentei aos leitores do História Maximus o personagem com ar de retardado mental que podem ver na fotografia acima. Quem não sabe, fica a saber que a besta chama-se Luís Miguel Fernandes Crespo (Lá Cardo para os amigos...).

Esta triste criatura que tem neste momento vários processos judiciais a decorrerem contra si, um deles por tentar agredir um idoso, ainda não aprendeu a lição e continua a querer armar-se em xico esperto. Fá-lo porque desde os anos 1990 que vive fugido em Macau, cidade a partir da qual emite a sua parolice contra outros concidadãos, escrevendo num blog e vários jornais de província. 

Ontem, o retardado decidiu brindar-me com esta colorida pérola. Mais uma vez, não se esgrima no texto escrito pelo Lá Lá Cardo um único argumento que se aproveite e no geral, tudo não passa de mais do mesmo: jogos de palavras atrás de mais jogos de palavras, enrolados em ordinarice verbal pura e dura, linguagem típica de um pré-adolscente e que na boca de um adulto demonstra apenas a deficiente educação que o mesmo recebeu em criança. Não sei que trabalho andou a mãe do Lá Lá Cardo a fazer, mas certamente que não foi a educar o porquito do filho...


João José Horta Nobre
23 de Dezembro de 2016

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Digam-me Cristãos, Onde é que Anda o Vosso Jesus Nestes Momentos?!?




Não anda!

Parece que o judeu carpinteiro promovido a "profeta" por um bando de semitas alucinados, mais uma vez decidiu deixar o seu fiel rebanho ao abandono, enquanto o mesmo era brutalmente massacrado às mãos de islamitas. Desta vez foi na Alemanha, mas isto é o que se tem visto e revisto por todo o Mundo inúmeras vezes: cristãos a serem chacinados como se fossem gado e em troca o judeu de Nazaré manda-os à bardamerda.

Se eu já de si tenho todos os motivos e mais alguns para ter um ódio de morte ao Cristianismo, coisas como a que aconteceram ontem em Berlim, só vêm reforçar esse mesmo ódio e repulsa que eu nutro pela religião cristã. Andam os ingénuos dos cristãos a preparar as celebrações do aniversário do judeu em que acreditam e em troca o judeu "todo-poderoso" nem sequer os consegue proteger de um semi-reboque conduzido por um lunático. Sim senhora! Belo "profeta"! Os cristãos arranjaram um "protector" que é obra...

Eu já estou cansado desta loucura semita, acreditem, estou mesmo muito cansado disto tudo e caso ninguém ainda tenha reparado, a minha paciência para ser tolerante para com estas religiões paridas no Médio Oriente, acabou-se de uma vez por todas.

O Judaísmo, o Cristianismo e o Islão têm de ser banidos de uma vez por todas da nossa sociedade. Não há possibilidade sequer de estas religiões poderem ser toleradas entre nós. A solução, essa é simples: o lixo religioso do Médio Oriente tem de ser todo escorraçado de volta à fossa séptica de onde emergiu e ponto final no assunto

João José Horta Nobre
20 de Dezembro de 2016
 

sábado, 17 de dezembro de 2016

Na Morte de Fidel Castro o Parlamento Português Decidiu Mostrar ao Mundo o Lixo de Que é Feito

Fuzilamento de opositores políticos em Cuba pelo regime comunista. Proponho vivamente que a legislação portuguesa seja alterada não só para se ilegalizar activamente o Comunismo, mas no sentido de também se passar a aplicar a morte por fuzilamento a todos os marxistas, trotskistas, maoístas, estalinistas e restantes "istas" do raio que os parta.


Só volto a tocar neste assunto porque li ontem com gosto um artigo do Tenente-Coronel João José Brandão Ferreira sobre o recente falecimento de Fidel Castro, cuja leitura recomendo vivamente pela boa síntese que se faz no texto sobre a pouca-vergonha que foi a atitude da classe política portuguesa em geral, a propósito da morte de "El Comandante":

«A TRISTE FIGURA PORTUGUESA NO PASSAMENTO DO BARBUDO FIDEL»


Verdade seja dita, ter visto os supostos representantes do meu País a aprovarem dois votos de pesar por um merdas do calibre de Fidel Castro, no fundo, não foi coisa que me surpreendesse assim tanto, pois não é de esperar outra coisa do tipo de gente ordinária que hoje se senta no parlamento com as tripas sempre bem abastecidas de refeições gourmet pagas pelo contribuinte comum. Na prática, o parlamento decidiu apenas mostrar ao Mundo e a todas as vítimas do Comunismo, o lixo de que é feito. A cambada que aprovou esta vergonha só merecia mesmo era ser enfiada num campo de trabalhos forçados ao estilo cubano, com rações alimentares iguais àquelas a que o povo cubano tem direito. Talvez se fizessem isto podia ser que os deputados que andaram a babar-se por Fidel Castro, ficassem a conhecer na própria pele o que é e em que consiste na prática a "Revolução Cubana".

A esquerda portuguesa que não se esqueça de que não vai estar no poder para todo o sempre e quando a situação política mudar e podem ter a certeza de que ela um dia vai mudar, irão "rolar" muitas cabeças vermelhas. É que vocês até podem conter a avalanche nacionalista durante algum tempo, mas não nos vão conseguir conter para sempre e vocês sabem disso. Um dia, talvez já nem tão longe quanto isso, todo o rol de mentiras e aldrabices que andam há 42 anos a papaguear ao povo, acabará por cair por terra e não haverá nada nem ninguém que vos salve das garras da nossa justiça. Nessa altura, o melhor é implorarem ao Papa por clemência, porque da nossa parte não a encontrarão de certeza absoluta.


Che Guevara após ter sofrido um "acidente de trabalho" na Bolívia. Como se pode ver na imagem, para este comunista não houve clemência.


João José Horta Nobre
17 de Dezembro de 2016

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

A Judiaria Internacional Declara Guerra à Liberdade de Expressão



O judeu internacional, isto é, o núcleo de supremacistas judeus que opera "atrás das linhas", manipulando e influenciando os acontecimentos através do seu imenso poder económico-financeiro, está a querer apertar a malha em torno da liberdade de expressão, algo que de resto, eu já esperava que viesse a acontecer assim que os tribalistas em causa começassem a sentir o seu poder ameaçado.

A Nova Ordem Mundial ainda está muito longe da derrota que eu espero que a mesma venha a sofrer, mas os primeiros sinais da inevitabilidade dessa derrota, já começam a surgir um pouco por todo o lado. Naturalmente, o judeu internacional vai resistir com tudo o que tiver ao seu dispor e vai atirar contra nós toda a espécie de armadilhas, na esperança de que os movimentos nacionalistas voltem a cometer os mesmos erros que já cometeram na guerra de 1939-1945.

A primeira coisa que tem de ser entendida é que o maior inimigo do judeu internacional, o seu maior terror e aquilo que decerto o fará tremer como uma vara verde, é a simples verdade. O judeu internacional  em conjunto com os seus sabujos - a maioria totalmente ignorantes sobre as verdadeiras intenções do primeiro - tem um genuíno pavor à verdade e por isso faz tudo o que pode de forma a desinformar o grande público e mantê-lo "anestesiado" com o lixo emitido pelos mainstream media, tudo na senda de assim nos poder dominar e controlar perpetuamente.

Não são os exércitos que constituem hoje o maior inimigo do judeu internacional, é a contra-propaganda ou contra-informação se assim lhe preferirem chamar. Na pratica, nós já estamos em guerra há muitos anos contra a judiaria internacional, porém, só agora começamos a virar a balança para o nosso lado graças a uma coisa que começou a desenvolver-se seriamente na década de 1990 e que hoje tem um poder superior ao de qualquer exército em marcha. Como é óbvio, estou a falar-vos da Internet, essa coisa prodigiosa e cujo poder e alcance em termos morais é ainda mais devastador do que a mais poderosa de todas as armas atómicas.

O "calcanhar de Aquiles" da judiaria internacional é e sempre foi os mainstream media, pois são os mesmos que lhe permitem garantir o domínio da situação política e por via de uma intensa lavagem cerebral na população, induzi-la a votar nos seus candidatos - os candidatos do "sistema". Reparem como todo o candidato que hoje se apresente a eleições e que não seja um lacaio da Superclasse Mundialista, é prontamente rotulado pelos media de "radical", "extremista", "populista", "perigoso", "sem experiência política", etc... 

É a mão invisível do judeu internacional que está por detrás de toda esta vil campanha contra tudo o que não esteja alinhado com a mesma. Os mainstream media são usados como uma arma de controlo populacional pela Superclasse Mundialista e quem se opõe a este estado de coisas, não tarda a sofrer ataques soezes, torpes calúnias, acusações falsas, entre todo um rol de baixezas que visam apenas retirar-lhe credibilidade aos olhos do grande público, por via a favorecer os candidatos ao serviço do "sistema".

Enquanto lhe deu jeito, ou melhor, enquanto não se sentiu ameaçado por nós, o judeu internacional sempre puxou dos galardões fazendo de conta que era um grande defensor da liberdade de expressão. Porém, tudo nunca passou de uma tremenda farsa. Eu sempre acreditei e já o disse anteriormente: quando a actual elite se sentir ameaçada, a mesma vai reagir com golpes mesmo muito baixos e sujos. A título de exemplo, ainda ontem veio-se a saber que a mãe de Richard Spencer, um dos mais destacados membros da Alt-Right, está a ser alvo de perseguição por ser mãe de quem é. Isto é assim, esta canalha, estes vermes do "sistema" e ao serviço do "sistema", quando não nos conseguem derrotar com argumentos e numa luta de igual para igual, recorrem às mais pérfidas tácticas de intimidação para nos tentar silenciar.

A judiaria internacional e os seus sabujos podem ter a certeza que em troca de toda esta canalhice só ganharão o nosso ódio e por cada ataque que nos lançarem, nós responderemos com dez, vinte, trinta, quarenta ou até cinquenta ataques! Atacaremos e contra-atacaremos as vezes que forem necessárias até que  o "sistema " baseado em mentiras que sequestrou as nossas nações, seja arrasado de uma vez por todas e todos os seus coriféus devidamente julgados e punidos. 

Está neste preciso momento em curso uma campanha concertada contra a liberdade de expressão que resta na nossa sociedade. Nas últimas semanas o "sistema" primeiro atacou no Twitter de onde decidiu banir vários membros destacados da Alt-Right. Posteriormente, começaram a circular rumores de que o cerco se vai apertar (tal como eu já espero há muito...) e os mainstream media começaram a difundir a ideia de que tudo o que não encaixe na "verdade oficial" por si propagandeada, é "fake news". A preocupação e o pânico do "sistema" são por demais evidentes neste momento. Eles estão de tal forma apavorados com o que nós andamos a escrever e a divulgar, que estão a fazer de tudo para nos calar. Como é óbvio, não o vão conseguir e quanto mais o tentarem fazer, mais razão nós teremos do nosso lado e mais intensa será a nossa resposta. 

Hoje mesmo, a ofensiva dos supremacistas judeus contra a liberdade de expressão, voltou a ter mais uma novidade com o anúncio por parte do Facebook (que eu não uso...) de que este vai criar ferramentas e meios para combater as "notícias falsas". Por outras palavras, o Facebook vai começar a promover a censura activa de todos os conteúdos que saiam da linha da "verdade oficial". Isto, como é óbvio, constitui censura e se a teoria for efectivamente colocada em prática, será censura numa escala nunca antes vista. Bem vindos a 1984...

O "sistema" está a dar sérios sinais de que se pode transformar numa ditadura autoritária e por isso não me surpreende o facto de já haver patriotas que estão a planear a resistência numa hipotética futura clandestinidade, pois não se sabe o nível a que esta perseguição pode chegar e pelo sim, pelo não, o melhor é ter planos de contingência preparados para entrarem em acção se e quando forem necessários. Ainda recentemente escrevi sobre o perigo que pode potencialmente constituir uma elite desesperada para se manter no poder, algo extremamente perigoso para todos. Nós estamos a lidar aqui com lunáticos varridos que já deram mostras de estar dispostos a tudo, mas tudo mesmo para conservar as rédeas do poder na mão. 

Já estamos a viver numa Europa onde se é perseguido por criticar o Islão. Quem fala a verdade e escreve sobre o que se está a passar, é rotulado de "teórico da conspiração" ou "extremista" e vê os seus conteúdos serem considerados como "notícia falsa". Os referendos são simplesmente ignorados ou repetidos até que saia o resultado "correcto" que agrada às elites e a "democracia" no geral não passa de uma charada. E por detrás disto tudo, bem escondida e a fazer de conta que não tem nada a ver com o assunto, está a pata do supremacismo judaico. Bronfman, Soros, Rothschild, Graham, Murdoch, Eisner, Rothstein, Zuckerman, isto são apenas alguns nomes daqueles que andam a conspirar na sombra para destruir as nações substituir as mesmas pelo vácuo internacionalista. 

João José Horta Nobre
16 de Dezembro de 2016


quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Alex Jones Sobre o Que Tem de Ser Feito às Elites Mundialistas




Bem sei que o homem é controverso e há quem não concorde com ele em muita coisa (eu inclusive...), mas que Alex Jones diz algumas grandes verdades e que tem sido um dos mais destacados homens no combate à Nova Ordem Mundial, isso para mim é, de longe, inquestionável. Aliás, foi com o Alex Jones que eu dei os meus primeiros passos no Mundo das "tresloucadas teorias da conspiração" e já aqui divulguei muito material produzido pelo mesmo.

Desta vez decidi dedicar uma pequena postagem ao video acima, pois o assunto é de extrema importância e apesar de não ser nada que eu próprio já não tenha escrito aqui, nunca é demais repeti-lo: o actual sistema mundialista/internacionalista tem de ser desmantelado e a única forma de se acabar de vez com isto, é acabando com as actuais elites que reinam no Ocidente. É necessário levar a cabo prisões, julgamentos e no limite, execuções, pois esta gente não vai parar enquanto não for forçada a parar.

Quem ainda não entendeu, que entenda de uma vez por todas que "pessoas" como George Soros, Hillary Clinton, George Bush, Tony Blair, Angela Merkel, Durão Barroso, Barack Obama, entre muita outra tralha assassina ao serviço da Nova Ordem Mundial, deviam era de estar na prisão com uma sentença de muitos anos em cima a ver os "sol aos quadradinhos" ou então à espera da execução.

Em Portugal também temos um belo rol de traidores que merecem um destino igual ou semelhante aos "artistas" acima citados. Acredito e digo isto com total sinceridade, que ainda hei-de ver cabeças de traidores a rolar no meu Portugal e é exactamente isso que os traidores merecem, pois o lugar de gente assim não é entre nós, mas entre grades ou entre camadas de terra...

É por isso necessário e volto a insistir, que se restaure a pena de morte em Portugal e que se faça tal com a máxima urgência, aplicando-a a crimes de traição à Pátria, crimes de lesa-Pátria e crimes económico-financeiros graves. A mensagem a passar aos pulhas em qualquer canto da Terra deve ser clara: todo aquele que tentar destruir uma Nação, será ele próprio no fim que acabará por ser destruído. 

E não, não é "abaixo com os traidores", é abaixo com a Constituição da República e de seguida, aí sim, Morte aos Traidores e de uma vez por todas!

João João Horta Nobre
14 de Dezembro de 2016


domingo, 11 de dezembro de 2016

DEVASTAÇÃO TOTAL - ALT-RIGHT ARRASADA POR AFRO-AMERICANA




Acabou-se. O nosso glorioso movimento nazi-fascista nunca mais vai conseguir recuperar de um golpe destes. Eu que até escrevi uma modesta tese de Mestrado em Historia Contemporânea, só hoje descobri que afinal foram os africanos que inventaram a Civilização de raiz. Sem os avançadíssmos povos africanos não teria surgido a matemática, nem as ciências, nem a filosofia, nem os homens teriam chegado à Lua, nem haveria cagadores equipados com água corrente. África Suprema! O próximo passo agora será colocar um eritreu em Marte, com o auxílio de uma Nave Espacial desenvolvida com base numa parceria entre Angola e a Somália. A sério, isto é tudo verdade, ouçam a esbelta afro-americana do video acima e se não acreditarem, perguntem ao professor marxista mais próximo da vossa casa. 




João José Horta Nobre 
11 de Dezembro de 2016


Nota - No próximo capítulo desta saga iremos analisar aprofundadamente os contributos de cientistas ugandeses sob o comando do grande líder Idi Amin Dada, para o desenvolvimento do microchip de silicone, sem a existência do qual este blog não seria possível. 

sábado, 10 de dezembro de 2016

Será Que os Católicos Portugueses Estão Realmente Interessados em Defender Portugal?



Não creio...

Sei certamente que os católicos portugueses estão muito preocupados em poder salvar a sua alma da ira do tresloucado Deus judaico em que eles acreditam[1]. Porém, começo a duvidar seriamente das "boas intenções" de muitos católicos portugueses que se dizem patriotas, mas simultaneamente vêem um farol de luz iluminadora na doutrina de um judeu que deu problemas por todo o lado onde passou e por isso mesmo acabou justamente condenado e morto pelo Império Romano. 
 
Pior ainda do que isto é o facto de muitos destes católicos darem ouvidos a um soberano estrangeiro que de acordo com a própria doutrina da Igreja Católica será "infalível". Não esqueço que foi esta mesma criatura que no meio de toda a sua "infalibilidade papal", ainda recentemente veio admitir aquilo que eu próprio digo há muito, ou seja, que os comunistas "pensam como os cristãos".  Não foi uma, nem duas, nem três vezes que eu já referi que há uma linha comum entre o Comunismo e o Cristianismo, ideologias que foram não apenas as duas fundadas por judeus, mas que são igualmente internacionalistas e buscam a criação de utopias imaginárias, cada uma à sua maneira.

Não será certamente mera coincidência o facto de tanto Jesus como Karl Marx terem sido judeus e eu pessoalmente confesso sem problemas que tenho pavor a toda e qualquer doutrina ideológica que tenha atrás de si a mão judaica. Aliás, a minha guerra com o Cristianismo tem sido sempre motivada exactamente por eu me recusar a aceitar uma religião fundada por um judeu.

Aqueles que no passado me acusaram e ainda acusam de pactuar com doutrinas judaicas, deviam de pensar duas vezes no que dizem, pois se há pessoa que sempre se bateu contra TODAS, repito, TODAS, as doutrinas de origem semita, fui eu. E tenho-lo feito porque não quero ver o meu País regido por ideologias estrangeiras, em tudo contrárias ao nosso interesse colectivo e porque eu sei o terrível mal que se oculta por detrás de todos estes "ismos" de raiz judaica. 

A mão invisível do Supremacismo Judaico está sempre escondida na sombra e serve-se da inocência dos goyim para os manipular a seu belo prazer. O Cristianismo não foge a esta regra. Bem sei que os católicos o negam e insistem em dizer o contrário, mas por todo o lado onde eu vejo a presença do Cristianismo, eu vejo mais tarde ou mais cedo o alastramento da fraqueza, da cobardia, da rendição, da decadência e da tolerância militante. Ora, só os supremacistas judeus podem ter interesse nisto. Só aos internacionalistas é que interessa enfraquecer as nações por via de delírios ideológicos como o Comunismo e o Cristianismo.

Há outra questão ainda que me levanta graves suspeitas. Isto é, quantos são e quem são os informadores que o Vaticano tem infiltrados na sociedade portuguesa?!  É sabido desde há muito que o Vaticano tem agentes secretos espalhados por todo o Mundo, que à margem da legalidade instituída e que como qualquer outra agência do mesmo tipo, visam obter informações classificadas que posteriormente são enviadas para o Vaticano. 

É provável que os católicos portugueses que são espiões do Vaticano não sejam em grande número. Provavelmente serão apenas algumas dezenas. No entanto, seria bom que o povo português tivesse consciência de mais esta patifaria que a Igreja leva a cabo contra o nosso País e que é mais uma prova de como a Igreja não só é nossa inimiga directa, como é também um inimigo que joga feio, porco e extremamente sujo para atingir os seus objetivos diabólicos.

Eu jamais me cansarei de o repetir: a Igreja não é nossa amiga, não é nossa aliada e de tudo tem feito para sabotar a acção de todos os patriotas tanto dentro como fora de Portugal. Basta ver a relação altamente confortável que o clero mantém com o "sistema" e os partidos que fazem parte do assim-chamado "arco do poder". A Igreja sabe que esta gente é podre e vil, sabe que eles intentam o desmantelamento progressivo de Portugal pelas costas do povo português, mas mantém-se silenciosa com isto tudo e recusa-se a denunciar seja o que for. 

Repare-se como a Igreja Católica Portuguesa nem hesitou há alguns meses atrás em meter as suas "tropas" na rua para defender os seus interesses corporativos, aquando da polémica em torno dos contratos de associação com colégios privados. Nunca me lembro de ter visto os católicos saírem à rua assim em defesa fosse do que fosse e muito menos em defesa do nosso interesse nacional. 

A Igreja fartou-se de chiar contra o Comunismo durante o PREC e até houve um célebre cónego que andou a espalhar bombas, mas foi só porque a Igreja como instituição se sentiu então ameaçada. Hoje, porém, é com total claridade que eu vejo que a Igreja sempre se esteve nas tintas para Portugal, sendo que a si interessa-lhe apenas garantir a sua sobrevivência independentemente do regime que estiver no poder.  A prova disto é a actual relação extremamente confortável que a Igreja mantém com a extrema-esquerda, algo que me perturba profundamente e que eu vejo como sendo o cúmulo de todas as traições da Igreja.

Salazar cometeu um erro gravíssimo em dar apoio à Igreja e a meu ver, ele devia era de ter terminando com aquilo que os republicanos iniciaram em 1910, ou seja, desmantelar de uma vez por todas a Igreja Portuguesa e tratar os cristãos da mesma forma que o Estado Novo tratou os comunistas. Como é mais do que óbvio, Salazar cuja cabeça tinha sido lavada pela propaganda católica desde tenra idade, insistiu em manter-se fiel à Igreja e aquando do início da Guerra do Ultramar, o Vaticano retribuiu-lhe este favor enfiando-lhe prontamente uma "navalha nas costas" e tomando o lado do terrorismo que atacava a massacrava compatriotas nossos em África

Salazar não aprendeu e os monárquicos portugueses também não aprenderam aquilo que eu já percebei há muito, ou seja, que nunca, mas nunca se pode confiar em instituições de origem judaica como é o caso da Igreja Católica. Tudo o que tenha a mão sinistra do supremacismo judaico por detrás, mais tarde ou mais cedo, acabará por vos trazer a desgraça e a miséria. O Cristianismo, religião integralmente fundada por um judeu, não foge a esta regra. 

A Igreja católica e basicamente todas as igrejas protestantes estão implicadas até ao pescoço no actual plano internacionalista para destruir as nações. Esta gente, em conjunto com os seus correligionários semitas, declararam guerra aos povos da Europa e não descansarão enquanto não nos exterminarem por completo. Sim, eu aponto o dedo ao Vaticano e acuso-o de estar consciente e voluntariamente implicado num complô internacionalista para destruir não apenas Portugal, mas todo o Ocidente e em última análise, aniquilar a própria Civilização da face da Terra.  

Se os católicos portugueses estivessem realmente interessados em defender Portugal, eles denunciariam prontamente e sem freios na língua, a própria Igreja a que pertencem e aquela que é hoje uma das principais inimigas do nosso País. Mas não o fazem porque estão cegos, ou melhor, foram cegados por toda a propaganda semita que lhes foi sendo martelada à força para dentro da cabeça ao longo dos anos. É triste dizê-lo, mas acredito que muitos já não têm recuperação possível, sendo que assim eles hão-de morrer, cegos, alucinados a crer num Deus sádico que só existe na sua imaginação e crentes de que um judeu que viveu há 2000 anos é o "Messias" pelo qual os judeus ainda aguardam e com razão, pois não há absolutamente nada que prove ou demonstre factualmente que Jesus foi efectivamente o Messias prometido. 

É interessante e tenho de dizer isto, já que se trata de algo no qual tenho vindo a pensar desde há algum tempo a esta parte, que as ideologias de origem semita têm uma capacidade fenomenal para sequestrarem por completo a mente dos goyim e levá-los ao fanatismo mais extremo. Os judeus sempre foram um povo muito hábil a produzir ilusões e não será mera coincidência como até no cinema isto fica patente, pois foram judeus que praticamente criaram de raiz e fizeram florescer aquela máquina de sonhos chamada Hollywood. Desde a religião, à política, passando pela cultura, o judeu sabe como manipular os goyim através de mil e um truques. O Cristianismo, é apenas mais um desses truques e quando o Cristianismo deixar de ser útil para os supremacistas judeus, estes nem hesitarão em substituí-lo por outra coisa qualquer de que entretanto se lembrem de inventar. 


____________________________________________
 
Notas:
[1] A concepção monoteísta dos cristãos é de origem judaica, este facto inegável é reconhecido até pela própria Igreja Católica. 

João José Horta Nobre
10 de Novembro de 2016

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...