terça-feira, 31 de maio de 2016

Mas Isto é Tão Simples...



“Nós somos socialistas, nós somos inimigos do sistema económico capitalista para a exploração dos economicamente fracos, com os seus salários injustos, com a sua indecorosa avaliação do ser humano, de acordo com a riqueza e a propriedade, em vez de acordo com a responsabilidade e o desempenho, por isso estamos determinados a destruir esse sistema sob todas as condições.” - Adolf Hitler (1889 - 1945)

Anda por aí um certo burburinho nas redes sociais e nos media, sobre se as origens do Fascismo são ou não de Esquerda. Sobre esta questão já eu escrevi um artigo neste blog há quase dois anos, precisamente intitulado O Fascismo e a Memória Curta da Esquerda. Está lá tudo o que é essencial saber sobre esta temática e que muito poucos sabem, porque em Portugal não se ensina história na escolas, mas sim, propaganda política bem pensante e alinhada com a "cassete" do costume. Também abordei a mesma questão na minha tese de Mestrado, numa perspectiva um pouco diferente, mas a conclusão que retiro tem sido sempre a mesma: o Fascismo não só tem origens marxistas, como é também uma ideologia tão ou mais revolucionária do que o próprio Marxismo.

Os quase 20% de que a extrema-esquerda goza em Portugal, advêm do simples facto de Portugal ser um País onde a ignorância sobre história e ciência política é Rei. O eleitor comum, não percebe quase nada de nada sobre ideologias políticas e muito menos sobre as raízes das mesmas. Não é preciso ser-se um génio para se entender como a esquerda (ao serviço de uma entidade superior...) se tem aproveitado largamente da ignorância do povo ao longo dos anos, para o ludibriar com mentiras e promessas falsas, da mesma forma que se enganam crianças inocentes com chocolates. A direita nacional (tipicamente arrogante, porque acha que foi parida de uma vagina de ouro...), não deixa de ser cúmplice deste estado de miséria intelectual em que se encontram os portugueses, isto porque a própria direita é controlada por detrás da cortina pela mesma elite sinistra que controla a esquerda.


As elites não têm interesse em que o povo saiba destas coisas, tal como também não têm interesse em que as pessoas saibam que foram os plutocratas de Wall Street que financiaram tanto a Revolução Bolchevique, como a Alemanha Nazi. Lenine e Hitler comeram todos da mesma mão, ambas as ideologias foram utilizadas em benefício da mesma elite maquiavélica, que já então comandava os acontecimentos e que hoje continua firmemente no poder. Hitler merece ficar para a história não só como o psicopata que comprovadamente foi, mas por ter sido um idiota que caiu que nem um patinho na armadilha que a Superclasse Mundialista lhe montou.  

Hitler ao iniciar as agressões militares na Europa, fez exactamente o que a Superclasse Mundialista queria que ele fizesse (por isso mesmo é que esta financiou a reconstrução da Wehrmacht na década de 1930...), fornecendo assim à mesma o pretexto perfeito não só para dar início ao projecto europeu no pós-guerra (um protótipo para o futuro governo mundial totalitário que está em preparação...), como também, para diabolizar todos os nacionalistas a um ponto extremo. O Nacionalismo é o velho inimigo da Superclasse Mundialista e continua hoje a ser o ÚNICO capaz de derrotar a mesma, por isso mesmo é que esta o odeia e persegue tanto. Hitler na sua ânsia de querer libertar a Alemanha de influências exteriores e apátridas, acabou por se exceder de tal forma, que fez exactamente o que a Superclasse Mundialista queria que ele fizesse e esta última, tratou de garantir até 1944 que o regime do Führer continuava bem financiado...

Enquanto o povo anda distraído e a lutar entre si devido a ideologias políticas malsãs, utilizadas como instrumentos de divisão da sociedade, a Superclasse Mundialista continua a operar nas trevas onde com certeza, não se deve de rir pouco com a ignorância das gentes comuns que acreditam nas balelas que os mass media lhes enfiam na cabeça de manhã à noite. O que vale é que a pouco e pouco, os povos do Ocidente parecem estar a acordar da forte anestesia a que foram submetidos nos últimos cinquenta anos. Não sei é se ainda iremos a tempo de travar esta loucura apocalíptica a que as nossas sociedades foram conduzidas...

João José Horta Nobre
31 de Maio de 2016


Video cujo visionamento se aconselha a todos os esquerdistas:

O Judeu Spielberg Está Preocupado Com o Anti-Semitismo

Spielberg a proferir um discurso na embaixada de Israel em Washington, Janeiro de 2016
 

«Anti-Semitism is on the rise, Spielberg warns in Harvard speech»


Parece que o judeu Spielberg está muito preocupado com o aumento do anti-semitismo pelo Mundo fora. Não sei é se o judeu Spielberg estará a ter em conta que os campeões do anti-semitismo nos dias que correm, não são os nacionalistas que ele e os seus amigos bem pensantes tanto odeiam, mas sim, os muçulmanos que as elites mundialistas andam a importar a granel para dentro da Europa e dos Estado Unidos. Não é ao acaso que o Mein Kampf é um bestseller no Mundo Árabe... 

Se o judeu Spielberg quiser que os judeus da Europa e dos Estados Unidos continuem a mutilar o pénis a bebés com rituais religiosos primitivos, se ele realmente está preocupado com os judeus, então é melhor que pegue antes de mais no seu telemóvel e ligue ao judeu George Soros (um provável membro da Superclasse Mundialista...), pedindo a esse mafioso que devia de já estar há muito tempo na prisão, que cesse imediatamente com o financiamento a organizações que apoiam o internacionalismo e a desestabilização do Médio Oriente, de forma a provocar ondas humanas de refugiados, com o objectivo único de inundar o Ocidente de muçulmanos, lançando assim as sementes para uma guerra civil devastadora a médio/longo prazo e consequentemente para a construção de um governo mundial totalitário.

Não sei se o judeu Spielberg fala destas coisas do anti-semitismo porque está feito com as elites mundialistas, ou se as diz porque é simplesmente burro e quer ser politicamente correcto. Talvez seja uma mistura de ambas, não sei, um pobre goyim como eu não possui inteligência suficiente para conseguir interpretar estes mistérios abraâmicos... 


João José Horta Nobre
31 de Maio de 2016

A Esquerda Disciplina os Seus


Video onde se pode ver a dissidente de extrema-esquerda, Sahra Wagenknecht, a levar com uma tarte de chocolate na cara, tudo porque apenas defendeu num congresso do seu partido (o Die Linke), a imposição de limites na política de "refugiados". Vá lá, teve sorte a fräulein Wagenknecht, noutros tempos a esquerda costumava tratar dos seus dissidentes, não com tartes de chocolate, mas com o clássico tratamento da bala na nuca, por vezes administrada apenas após longas sessões de tortura, tudo em nome do "povo trabalhador", pois claro...


É assim que a esquerda trata a dissidência interna. Não brincam em serviço os rapazes e as raparigas dos "amanhãs a cantar". O primeiro esquerdista que ouse começar a pensar pela própria cabeça e a questionar a "cassete" oficial, é logo sujeito a "tratamento". Desta vez foi só uma tarte de chocolate na cara, mas houve outros, muitos outros, como o José Miguel, que não tiveram a mesma sorte. Em 1961 o José Miguel foi rotulado de "traidor" e "inimigo do povo" pelo Partido Comunista Português (PCP) e de seguida executado a tiro a mando do Partido. Não esquecer que o PCP é  quem mais drama e queixas tem feito sobre os "safanões" que ocasionalmente os seus militantes recebiam da PIDE, mas que simultaneamente estava disposto a executar os seus próprios dissidentes internos a tiro e decerto, se tivesse conseguido tomar o poder absoluto como ainda tentou fazer em 1975, teria havido muitas mais execuções a tiro, não só de dissidentes internos, mas de "reaccionários", ou seja, de qualquer cidadão que não alinhasse com as ordens emandas do Partido. 

Isto são as coisas que a esquerdinha não vos conta, nem nunca vos vai contar, porque não lhes interessa que se saibam. Nas escolas isto também não se ensina, porque o sistema de ensino está pejado de gente que mesmo 25 anos após o colapso do Mundo Comunista e com tudo o que hoje se sabe sobre esse sistema maldito, continuam a achar o Comunismo como sendo uma coisa "engraçada", "chique" e "amiga do povo". Passar uns dias na actual Venezuela a roer ossos e a ter de esperar oito horas numa fila para adquirir um frango, talvez fizesse bem a muita desta gente que ainda delira sobre as "virtudes" e a "superioridade" do Socialismo...
 
Quanto à fräulein Wagenknecht, acho que ela mesmo sendo alemã, nem tem noção do que lhe podia ter acontecido se tivesse tido a ousadia de se armar em dissidente, nos tempos em que os terroristas da Stasi operavam à rédea solta na República Democrática Alemã (atenção ao pormenor "Democrática"...). 

Deixo-vos aqui estas fotos para que vejam como é que era a tal "democracia" à moda da esquerda, de que os alemães de Leste gozaram até 1989 e que hoje, a esquerdinha portuguesa, sonsinha, hipócrita e mentirosa, quer branquear e fazer parecer uma coisa "chique" e que "até nem era assim tão má":


Uma sala de interrogatórios na prisão de Hohenschönhausen em Berlim, utilizada pela Stasi até 1990. As paredes estão convenientemente forradas a borracha, de forma a que não se ouvissem os gritos dos "inimigos do povo" enquanto estes eram torturados.  Aqui não havia "causas fracturantes", o que poderia haver, isso sim, era ossos fracturados...


Uma das salas da prisão de Hohenschönhausen. O ambiente dentro da prisão era semelhante a um hospital psiquiátrico (a esquerda sempre teve o hábito de apelidar todos os seus opositores de "esquizofrénicos" ou "doentes mentais", só eles, os da esquerda, é que não padecem de nenhuma doença do foro mental...) e os prisioneiros eram, por norma, mantidos em isolamento total. O objectivo era quebrá-los do ponto de vista psicológico e fazê-los sentirem-se totalmente desprotegidos e à mercê do Estado, ou melhor, dos caprichos doentios dos agentes da Stasi...


Foi apenas após a unificação alemã que se ficou a saber da verdadeira magnitude dos arquivos da Stasi: 180 quilómetros de ficheiros, 35 milhões de outros documentos, aos quais acrescem fotografias, gravações de áudio e registos de conversas telefónicas. Na prática, a Stasi era uma verdadeira agência de intromissão na vida privada dos cidadãos e constitui um bom exemplo do que acontece quando os governados, permitem que os governantes gozem de poderes excessivos.


Um instrumento de tortura utilizado pela Stasi. As instruções em alemão dispensam mais descrições...


 Esta curiosa máquina era utilizada pela Stasi para recolar os sobrescritos abertos pelos seus agentes. Isto é a imagem do ponto a que pode chegar a coscuvilhice num Estado policial.


Como é óbvio, a esmagadora maioria dos actuais marxistas nunca viveu num regime de inspiração marxista e por isso mesmo é que debitam diariamente o lixo mental do costume. Só espero é que a experiência de levar com uma tarte de chocolate na cara, tenha ensinado à fräulein Sahra Wagenknecht aquilo que realmente é a esquerda e a faça pensar no verdadeiro motivo que leva partidos internacionalistas e de extrema-esquerda como o Die Linke, a defenderem fanaticamente políticas de fronteiras abertas e do multiculturalismo sem freios. 

João José Horta Nobre
31 de Maio de 2016

segunda-feira, 30 de maio de 2016

A Igreja Católica Reduziu-se a Uma Associação de Defesa de Direitos Corporativos




A Igreja Católica ultimamente parece ter-se reduzido a uma associação de defesa de direitos corporativos. Enquanto o País continua a ser desmantelado de dia para dia e assistimos a uma autêntica invasão islamo-africana na Europa (que a Igreja no futuro vai pagar muito caro...), a prioridade do clero católico são os colégios privados, os abortos, a eutanásia e mais umas tretas que não interessam a ninguém. A Igreja em lugar de combater onde é essencial, desgasta-se nestas escaramuças secundárias contra a esquerda e as suas "causas fracturantes".

Assim vai a Igreja Católica, totalmente controlada pela Superclasse Mundialista e dirigida por um anti-Papa ao serviço da Nova Ordem Mundial. Desta gente já nada se espera e os católicos agora só lhes resta mesmo é aguardar pelo dia em que um Papa lhes ordenará que aceitem a nova religião universal que está já a ser preparada. Tenho poucas dúvidas de que a maioria dos católicos, como carneirinhos mansos que são, irão aceitar sem problemas o novo credo universal. Convencer os judeus e muçulmanos a aceitar, isso é que já vai ser pior...

É por estas e muitas outras que eu não quero ver a Igreja metida em nada que tenha a ver com os assuntos do Estado, porque onde está a Igreja, está a Superclasse Mundialista ou os lacaios ao serviço da mesma... Nunca como hoje foi tão importante defender o Laicismo, não por ódio à religião em si, mas porque o Laicismo pode funcionar como uma barreira à infiltração de religiões controladas pela Superclasse Mundialista, como é nitidamente o caso da Igreja Católica. 


João José Horta Nobre
30 de Maio de 2016
 

sábado, 28 de maio de 2016

Isto Começa a Ficar Perigoso, Muito Perigoso...




Não é mentira, é mesmo verdade, as elites a mando da Superclasse Mundialista já estão publicamente a defender a restrição do direito de voto a uma pequena minoria "esclarecida" (à semelhança do que acontecia na Primeira República Portuguesa), ou seja, àqueles que a elite sabe que votarão nos candidatos politicamente correctos, isto é, os candidatos que estão ao serviço da Superclasse Mundialista. 

Tudo isto me faz pensar que estamos a aproximar-nos rapidamente de um período histórico muito perigoso. Isto porque tem sido tradição até aqui as elites a mando da Superclasse Mundialista, agirem discretamente, sem fazer barulho e dando pouco nas vistas. No entanto, nos últimos tempos as elites começaram a mostrar os dentes e a "dar bandeira" de uma forma muito pouco usual. Ainda esta semana foi a fraude eleitoral que cometeram na Áustria a mando da Superclasse Mundialista, agora e mesmo depois de toda a campanha negra que têm feito contra Trump nos media, as elites continuam tão desesperadas para o travar que até já colocam os seus lacaios que escrevem nos mass media, a propor a restrição do direito de voto a uma pequena minoria "esclarecida". Estes intentos apenas confirmam o que eu digo há muito: a democracia só interessa às elites, desde que esta sirva de veículo para os intentos malignos das mesmas. A partir do momento em que a democracia começa a funcionar contra as elites e acima de tudo, contra a Superclasse Mundialista, estas passam a colocar restrições à democracia e a limitar a participação na mesma.

Agora reparem numa coisa, o que têm Norbert Hofer e Donald Trump em comum? Pois é, ambos defendem políticas nacionalistas e como eu já expliquei em artigos anteriores, a Superclasse Mundialista foge do Nacionalismo, como "o Diabo foge da cruz", isto porque o Nacionalismo é hoje a última barreira aos planos maquiavélicos da Superclasse Mundialista para erguer um governo mundial totalitário, exterminar de seguida uma grande parte da população mundial e enfiar os sobreviventes (escravos/servos) deste holocausto em cidades-prisão, que na prática, serão gigantescos campos de concentração. O ódio das elites a Donald Tump advém deste simples factor, elas não o controlam e ao que tudo indica, Donald Trump já percebeu que o seu País não está a ser governado de acordo com os interesses do seu povo, mas de acordo com os interesses da máfia internacionalista que discretamente dirige o Mundo.  

Isto está a começar a ficar perigoso, pois este comportamento errático da parte das elites mundialistas demonstra que as mesmas estão a sentir-se em perigo. A Superclasse Mundialista ainda está firmemente aos comandos do poder na maior parte do Mundo, mas começa a exibir claros sinais de nervosismo, o que para mim é excelente, pois significa que os nacionalistas estão a acertar no alvo em cheio.

Acredito que Donald Trump e quaisquer outros líderes políticos nacionalistas, estão neste momento em grave perigo de vida. A Superclasse Mundialista se não os conseguir travar com fraudes eleitorais ao estilo do que ainda esta semana fizeram na Áustria, vão tentar comprá-los, e se não os conseguirem comprar, nem destruir através de escândalos fabricados na imprensa, passarão ao último recurso que lhes resta: o assassinato.

Isto começa a ficar perigoso, muito perigoso...

João José Horta Nobre
28 de Maio de 2016


Porque é Que a Esquerda Apoia a Islamização da Europa?




A resposta à pergunta formulada acima pelo João Miguel Tavares, é bastante fácil de dar para quem percebe o que realmente se está a passar. Não há aqui nada de ilógico, antes pelo contrário e eu vou explicar porquê: a esquerda é apenas mais um dos braços da Superclasse Mundialista e a esta última, interessa-lhe apenas quebrar as nações europeias por dentro, destruindo-lhes a sua homogeneidade étnico-religiosa, ou seja, a sua identidade nacional. A forma mais eficaz e rápida de se fazer isto é importando alógenos em massa do Terceiro Mundo e incentivando a disseminação das suas culturas retrógradas de forma a aumentar os conflitos sociais (a velha estratégia de dividir para reinar...), enquanto simultaneamente as elites a mando da Superclasse Mundialista encetam uma perseguição desenfreada contra a cultura e a identidade dos autóctones. 

A destruição da identidade e homogeneidade étnico-religiosa nacional, constitui um passo essencial para se pode destruir a Nação e este passo, por sua vez, é essencial para se conseguir erguer um governo mundial totalitário. Nada do que a Superclasse Mundialista faz é ao acaso ou por "humanismo". O objectivo final de todas as decisões tomadas pelas Superclasse Mundialista, é criar um governo mundial dirigido por uma pequena elite não eleita (a Superclasse Mundialista) e em que nós seremos os escravos, ou melhor, serão escravos os que sobreviverem ao extermínio populacional em larga escala, que também está a ser planeado pelas nossas costas (ou acham mesmo que as elites vão deixar a população mundial ir sempre crescendo sem fim à vista?...). Se alguém pensava que o Terceiro Reich era mau, então esperem só pelo que vem a caminho...

Quanto à mesquita que a câmara de Lisboa está a construir e em relação à qual eu já assinei esta petição contra o financiamento da mesma com dinheiros públicos, é mais do que óbvio que quem está por detrás disto são elites ao serviço da Superclasse Mundialista. Diga-se também já agora que muitas destas pessoas que tomam estas decisões dentro da câmara de Lisboa, nem sequer sabem elas próprias que estão a ser usadas pela Superclasse Mundialista, de forma a atingir os intentos maquiavélicos da mesma. 

Existe uma hierarquia de elites, sendo a Superclasse Mundialista a elite que está no topo da pirâmide do poder e em relação à qual pouco, muito pouco se sabe. Sabemos a sua intenção final, sabemos que a mesma existe, sabemos que age sempre por detrás de cortinas opacas, mas não sabemos exactamente quem é membro da Superclasse Mundialista. Nem sequer o Fernando Pessoa sabia e ele também já falava da mesma há quase um século.

As ordens emanadas da Superclasse Mundialista, são transmitidas a elites directamente abaixo da mesma na hierarquia de poder, que por sua vez as vão transmitindo e fazendo cumprir numa complexa cadeia hierárquica que dá muitas voltas e que também não se sabe exactamente onde é que começa e onde é que acaba. 

O que eu sei e do qual tenho a certeza absoluta, é que os actuais partidos de esquerda são usados pela Superclasse Mundialista, de forma a islamizar a Europa, abrindo assim o caminho para a inevitável guerra civil que se seguirá e que desembocará num reforço dos poderes da Superclasse Mundialista. O objectivo disto tudo é sempre o mesmo: destruir nações e abrir o caminho para o governo mundial, que a ser erguido, irá ser SEMPRE um governo totalitário em que vocês e as vossas famílias serão tratados como gado descartável. 

O motivo pelo qual eu sempre combati a esquerda, não tem a ver com ideologias em torno de sistemas económicos, mas sim, com o facto de a esquerda não passar de um veículo dos interesses da Superclasse Mundialista, à semelhança da direita liberal. O que todos devem de perceber é que qualquer política que favoreça o Internacionalismo, favorece também a Superclasse Mundialista. Ao invés, qualquer política que favoreça o Nacionalismo, vai directamente contra os interesses da Superclasse Mundialista. A luta que se trava hoje e que alguns pretendem fazer passar por uma luta de "Capitalismo versus Marxismo", na realidade, é uma luta de "Nacionalismo versus Internacionalismo". De um lado estão aqueles que defendem a liberdade dos povos, do outro, estão os lacaios do Mundialismo e da escravatura global que se prepara. Como é óbvio, isto não tem forma de poder vir a acabar bem.  

João José Horta Nobre
28 de Maio de 2016

sexta-feira, 27 de maio de 2016

A Venezuela Estará Mesmo à Beira do Colapso?

Um estudante anti-chavista em protestos contra o governo em Fevereiro de 2014. Já na altura se falava em "colapso iminente" do regime que há mais de quinze anos governa a Venezuela. Entretanto, o regime continua de pé, a abanar, mas de pé.

Corre por aí nos meios da informação e desinformação, uma certa ideia generalizada de que a Venezuela está "à beira do colapso", há até quem já preveja uma nova crise de retornados, desta vez oriundos não da miserável África, mas da pobre Venezuela. Aos que pensam desta forma, eu aconselho os mesmos a reflectirem antes um pouco mais, porque em relação à Venezuela e ao que por lá se passa, a história dos regimes socialistas demonstra exactamente o contrário do que por aí se diz vulgarmente.

Já se anda a dizer que a Coreia do Norte está à beira do colapso iminente desde pelo menos a década de 1990, idem para Cuba e agora aplica-se o mesmo tipo de retórica à Venezuela. O Zimbabwe há uns anos também diziam que iria colapsar a qualquer momento e entretanto, o Mugabe ainda por lá continua...

A história já demonstrou que apesar de toda a ineficiência económica, os regimes socialistas são muito mais resistentes do que pode parecer à primeira vista. Curiosamente, foram os regimes socialistas que ninguém esperava que colapsassem inesperadamente, como a União Soviética e os seus amigos da Cortina de Ferro, os primeiros a colapsar. Ao invés, os que toda a gente diz que estão "à beira do colapso", como Cuba, a Coreia do Norte, o Zimbabwe e a Venezuela, duram que nem pedras. 

Recordo-me de já em 2006 se dizer que a Venezuela iria rebentar em breve e entretanto já passaram dez anos e os chavistas continuam no poder. Talvez daqui a outros dez anos, ainda estejamos estar a falar do "colapso iminente da Venezuela"... Basta que o preço do petróleo suba um pouco e vão ver aquela "geringonça" latino-americana a recompor-se do dia para a noite. Não haverá luxos, é certo, mas dará pelo menos para acalmar as massas com mais uns ossos para roerem e distribuir mais umas promoções e benefícios pelos militares, de forma a manter os cães de guarda do regime bem quietinhos e caladinhos.

João José Horta Nobre
27 de Maio de 2016

Imaginem se Fossem Nacionalistas


Um carro da polícia atacado e destruído algures em Paris, por "jovens" revolucionários anarco-comunistas.


O video acima é uma pequena demonstração do que andam a fazer as guerrilhas urbanas anarco-comunistas, que hoje proliferam em Paris, com os custos e as consequências que tal naturalmente implica para o erário público. Como é perfeitamente visível no video, os "jovens" vândalos não só se limitam a atacar um carro da polícia, como ainda atacam e agridem fisicamente o polícia que estava ao volante do mesmo e que por sinal é um senhor... negro!

Vocês imaginem só se fosse um grupo de nacionalistas a fazer uma coisa destas, imaginem o chinfrim e a berraria que iria ser durante dias a fio por parte da esquerda, sobre os "neonazis violentos" que atacaram agentes da autoridade e que (meu Deus!) bateram num polícia negro! "Racismo! Racismo! Racismo!" "É racismo", "é xenofobia", "é discriminação", "é homofobia", "é machismo", "é crime"! Os "neonazis" teriam de ser imediatamente presos e acusados de terrorismo, a organização a que eventualmente pertencessem, teria de ser desmantelada pelas autoridades e de preferência, ilegalizada por ordem de algum tribunal ao serviço das elites mundialistas

O video acima, é certo, seria repetido ad aeternum em todas as redes sociais, televisões (em Portugal até poderia dar direito a mais um E se Fosse Consigo?...) e websites dos lacaios do Mundialismo, tudo isto com o objectico único de demonstrar que estamos perante um exemplo da "maldade" inerente ao Nacionalismo e à sempre "pavorosa extrema-direita" (seja lá o que isso for...). Não faltariam depois os relatos na imprensa, inventados por "jornalistas" ou falsificados por comunistas e/ou anarquistas, sobre os nacionalistas "maus", "maléficos", "terríveis" e "horríveis", que espancam mulatos e negros e que por isso têm de ser ilegalizados e de preferência presos, porque isto já se sabe, a "democracia" é só para alguns, nomeadamente os que estão alinhados com a "cassete" bem pensante e que engolem o excremento enlatado a que os grandes meios de comunicação social chamam de "jornalismo livre e isento" (ahahahha, não me façam rir...).

Mas não, nada disto que eu descrevi acima se passou, porque os meliantes do video não são nacionalistas, mas antes, vândalozinhos anarco-comunistas e que claramente não tiveram uma educação decente em casa, caso contrário, não estariam a fazer tais coisas. Este "pequeno" pormenor, basta para os ilibar de qualquer perseguição por parte dos media ao serviço das elites globalistas e eu até estou convencido de que nem que os rapazes em questão tivessem incendiado a rua inteira, mesmo assim, os media não se iriam preocupar com isso, pois isto já se sabe que a esquerda nunca matou, a esquerda nunca torturou, a esquerda nunca rebentou bebés à bomba, nem andou a enfiar balas em nucas, tudo em nome dos "amanhãs a cantar". Amanhãs esses, que só meteram recentemente os venezuelanos a comer cães de rua para sobreviver, isto para falar apenas do mais recente exemplo da tal "superioridade moral" que a esquerda se arroga, mas que não possui, nem nunca possuiu.

Outra questão em que vale a pena pensar é se o polícia que levou cacetada destes "jovens" vândalos, se teria contido de igual forma, não puxando da arma de fogo, se estivesse perante um grupo de nacionalistas. Muito sinceramente, não me parece... e atenção que eu condeno em absoluto este tipo de actos de violência urbana cometidos por patriotas, pois é exactamente isto que as elites mundialistas querem, de forma a diabolizar aqueles que defendem as nações e não o vazio materialista apregoado pelos internacionalistas.

A moral desta história é que se for um miúdo branco, rico, mimado, armado em revolucionário, a destruir propriedade publica e a bater num policia negro, nem os media, nem a esquerda se vão preocupar em denunciar o ocorrido. Podem esperar sentados para ver quanta indignação contra o “racismo” haverá nos jornais, quanto "esganiçamento" surgirá das redes sociais e quantas campanhas serão feitas pelos "anti-racistas" do costume, de forma a mostrar que bater em policias negros é a prova do "racismo institucional". Esperem sentados... 

João José Horta Nobre
27 de Maio de 2018
 

quinta-feira, 26 de maio de 2016

E Eu Que Pensava Que as Fraudes Eleitorais só Aconteciam na Rússia...

Fraude nas eleições austríacas: Houve localidades em que o número de votos contados foi muito superior ao número de eleitores que estão registados nessas mesmas localidades. Há inclusive, uma localidade em que o número de votos contados foi quase cinco vezes superior ao número de habitantes registados! Estamos perante mais um exemplo (de quantos mais é que precisam?...) daquilo em que realmente consiste a "democracia" que nos é impingida pelas elites da UE, que são na prática, uma autêntica máfia muito bem organizada, financiada e determinada em levar adiante os seus intentos maquiavélicos, independentemente da vontade dos cidadãos. 



Desde o primeiro momento em que soube dos resultados das últimas eleições presidenciais na Áustria, que eu desconfiei logo de que estávamos perante uma fraude eleitoral maquinada pelas elites globalistas. Tudo o que se passou é muito estranho, pois o candidato do FPÖ, Norbert Hofer, nos dias que antecederam as eleições, estava a liderar em praticamente todas as sondagens e a votação nas urnas confirmou isso mesmo, onde ele conseguiu manter uma vantagem de três pontos percentuais sobre o candidato da superclasse mundialista, o lacaio Alexander Van der Bellen. Ora, à última da hora e do nada surgiram uns tais votos por correspondência, que inverteram os resultados e deram a vitória ao candidato que as elites europeias e a superclasse mundialista queriam que vencesse as eleições. 

Podem ter a certeza de que se acontecesse uma situação destas na Rússia, já teríamos toda a imprensa ocidental a fazer a choradeira do costume e a falar em "fraude eleitoral na Rússia", tudo muito provavelmente acompanhado pelas condenações verbais a que já nos habituaram, tanto da parte dos líderes da UE, como por parte do Obama e da seita que o rodeia. 

O que aconteceu na Áustria já se tornou óbvio: estamos perante uma fraude eleitoral engendrada pela superclasse mundialista. Esta gente está a tentar impedir a todo o custo que cheguem ao poder na Europa líderes políticos que coloquem em causa o projecto europeu, que não passa de um protótipo para o futuro governo mundial totalitário que os lunáticos da superclasse mundialista estão a preparar. 

Norbert Hofer não é, nem nunca foi um "neonazi" como a imprensa ao serviço das elites o tenta pintar. Isso é tudo mentira sem qualquer fundamento. Norbert Hofer é, isso sim, um patriota que quer salvar o seu País das garras da tirania global que os mundialistas lhe querem impingir a ele e à sua Pátria. Reparem como a imprensa mundialista nem sequer hesitou em chamar "neonazi" a Hofer, mas trata Barack Obama com todo o respeitinho. Quem é Barack Obama? Pois trata-se "apenas" do senhor que possui um Prémio Nobel da Paz e que a mando da superclasse mundialista, já destruiu dois países (Líbia e Síria) e é responsável directo pela morte de mais de 200 000 pessoas com todas as guerras que tem arranjado no Médio Oriente e mesmo assim, este psicopata, este assassino de mulheres e crianças, continua a ser recebido de braços abertos na UE e a receber os maiores louvores da parte da imprensa internacional e das elites ao serviço do projecto globalista totalitário.

Isto é Totalistarismo 2.0. A capacidade que a superclasse mundialista tem para controlar a imprensa e os acontecimentos, sem que muitos cidadãos se apercebem de nada do que realmente se está a passar, é verdadeiramente assustadora. Estamos claramente perante uma forma aperfeiçoada de Totalitarismo. Desta vez os novos totalitaristas já não andam de bota cardada e fazem discursos megalómanos aos berros como faziam os parolos fascistas e nazis das décadas de 1920 e 1930. Os novos totalitaristas evoluíram na metodologia, são mais discretos e funcionam com base na manipulação discreta da imprensa, dos mercados (uma autêntica arma de guerra), dos tribunais e agora também das eleições como acabou de acontecer na Áustria. Nunca como hoje estivemos tão perigosamente próximos do Mundo profetizado por George Orwell em 1984.

João José Horta Nobre
26 de Maio de 2016
 

quarta-feira, 25 de maio de 2016

A União Europeia Prepara-se Para Criar Uma "Comissão de Censura"












O projecto europeu foi criado pela Superclasse Mundialista, com o único objectivo de ir desmantelando progressivamente as nações da Europa até conseguir subtrair-lhes toda a soberania e de seguida, unificá-las num único super-estado europeu, governado por burocratas de gabinete não eleitos, ou seja, por marionetas da Superclasse Mundialista. A União Europeia, no fundo, é uma experiência de laboratório. Trata-se de um protótipo onde a Superclasse Mundialista está a ensaiar métodos de controlo e engenharia social. O único objectivo disto tudo é preparar e abrir o caminho para o governo mundial totalitário que está a ser gradualmente construído pelas costas dos cidadãos.

Isto vai pouco a pouco e passo a passo. A Superclasse Mundialista sabe que não se pode transformar a União Europeia numa ditadura do dia para a noite, por isso vão progressivamente implantando mecanismos que visam abrir o caminho para a ditadura, mas de forma "suave", para não darem muito nas vistas. O último destes mecanismos parece ser esta proposta de criar aquilo que na prática será uma "comissão de censura" a nível europeu. O objectivo é claro: criminalizar e perseguir os estados europeus que tentem resistir às engenharias sociais que as elites europeias a mando da Superclasse Mundialista, nos querem impingir à força toda. 

Portugal deve sair o mais depressa possível do Euro e da União Europeia. A salvação nacional depende absolutamente deste factor e sem a concretização do mesmo, não será possível fazer nada.

João José Horta Nobre
25 de Maio de 2016

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...