domingo, 31 de janeiro de 2016

Isto é Mau, Muito Mau...


No vídeo acima podem ver uma pequena amostra do mortífero clima de guerra civil interétnica que está a fermentar na Europa. Neste caso tratam-se de muçulmanos em Luton, na Grã-Bretanha, a dizerem de boca cheia a uma patrulha cristã constituída por cidadãos britânicos organizados, que "the muslims will take over". Há uma observação lógica que se impõe perante tudo isto, ou seja, que esta "questão islâmica", nem sequer existiria para começar, se as elites europeias não tivessem aberto as portas das nossas pátrias aos muçulmanos, que como é visível e óbvio, são portadores de uma cultura anti-cultura claramente inferior e intolerante.


Quando eu por volta de 2010, na Universidade de Coimbra, por ocasião de um seminário sobre a União Europeia, disse que as actuais políticas da UE em relação à imigração, iriam espalhar o caos a médio/longo prazo, riram-se de mim e houve quem ainda gozasse comigo por eu ter dito que era uma questão de tempo até terem partidos como a Frente Nacional no poder.

Como eu já sabia, o tempo tem vindo a confirmar pouco a pouco tudo o que eu então previ e agora só falta mesmo é concretizar-se a minha última previsão feita na altura, que é preciamente a chegada ao poder da Frente Nacional em França. Em muitos países da UE, a dita "extrema-direita" já se consolidou como terceira força política e a tendência agora é para ir sempre subindo. Não foram os nacionalistas que criaram o actual caos que já está instalado na Europa com os ódios interétnicos a subirem de tom de dia para dia, mas sim, os partidos ditos "moderados" do centrão, adeptos fanáticos do multiculturalismo militante e sempre absolutamente intolerantes para com a oposição nacionalista, contra a qual até chegam a fazer alianças com a extrema-esquerda. Entretanto, a União Europeia parece começar a dar os primeiros sinais da morte agonizante que se prevê que venha a ter, as "democracias" europeias estão cada vez mais descredibilizadas (porque cada vez menos cidadãos acreditam na fantochada circense das mesmas...) e tudo isto só tem tendência para se agravar cada vez mais, até ao colapso definitivo dos actuais regimes demo-liberais que governam a Europa.

Agora, olhando em retrospectiva para as previsões que fiz por volta de 2010, reconheço que na análise de então, me enganei apenas em relação à velocidade da evolução dos acontecimentos, pois ao que tudo indica, estamos a resvalar rapidamente para a guerra civil generalizada na Europa e muito mais depressa do que eu próprio pensava.

Isto é mau, muito mau...


João José Horta Nobre
31 de Janeiro de 2016


RTP Dedica Portal de Glorificação à Extrema-Esquerda‏


No vídeo acima podem ver a estoriadora Pimentela a dissertar sobre o assassinato de Humberto Delgado, que na sua opinião, só poderá ter tido "o aval de Salazar". Claro que, depois no fim, a estoriadora lá admite que não existe uma única prova viável que sustente tal acusação. Em lugar de andar a perder tempo com o Delgado que já está a fazer tijolo há muitos anos, a Pimentela podia antes denúnciar quem foram os responsáveis da "democracia" pelos mais de 1 milhão de mortos que resultaram directa ou indirectamente da "descolonização exemplar". Mas claro, já me esquecia, dessas coisas "não se pode falar" e quem fala é "faxista"...


Isto é feito pela tal televisão pública que se diz "imparcial" e vive dos nossos impostos. Entretanto e como não podia deixar de ser, a estoriadora Pimentela já veio enaltecer esta manobra de propaganda e dizer que se trata de "serviço público". Claro, sim, sim, "serviço público", eu vou fazer de conta que acredito...

Reparem que já atingimos o ponto em que esta gente já nem sequer disfarça o que anda a fazer. Nem sequer se deram ao trabalho de criar um portal sobre o Estado Novo, de forma a darem a conhecer o "outro lado", nem que fosse só para disfarçarem um bocadinho e fazerem de conta que são "imparciais".

Mas é como dizia George Orwell: "a história é escrita pelos vencedores" e o resto é conversa. Interessante agora vai ser ver durante quantos mais anos é que o regime dos vencedores da Abrilada de 74 se vai conseguir aguentar em cima dos seus pés de porcelana. Depois logo fazemos também uns portais sobre os crimes do regime de Abril e a enaltecer quem resistiu contra o mesmo, muitas vezes com consequências pessoais e profissionais.

Cá se fazem e cá se pagam...

João José Horta Nobre
31 de Janeiro de 2016

sábado, 30 de janeiro de 2016

Das Tripas Maoístas Com Amor e... Fedor

 "Celebração da Sagrada Aparição de Mao Tsé-Tung Numa Sanita de Porcelana", Eversiempre, 2014


O Mundo perdido do Comunismo tinha destas coisas, a uma paranóia semi-tresloucada, associava-se um nível de imaginação psicadélica, que por vezes faz-nos questionar se quem por lá vivia (ou sobrevivia...), comia todos os dias uma taça de cogumelos mágicos ao pequeno-almoço.

É que é preciso ter-se mesmo uma grande imaginação para mandar espiar Mao Tsé-Tung através das suas próprias fezes, sim, isso mesmo, leram bem, Estaline mandou recolher os "sagrados" cagalhões de Mao Tsé-Tung, aquando da visita deste a Moscovo em Dezembro de 1949, de forma a que os mesmos pudessem ser analisados no sentido de se apurar qual a verdadeira disposição e estado de saúde do "grande timoneiro" chinês.

Desculpem lá, mas não há outra forma de pôr isto: só um louco varrido é que faz política internacional através de analises a cagalhões. Isto demonstra simultâneamente que os milagres, afinal de contas existem mesmo, pois de que outra forma a humanidade poderia ter sobrevivido à Guerra Fria, com loucos deste calibre ao comando de nações com armamento nuclear?
 
Os próximos líderes mundiais que visitarem Moscovo, pelo sim, pelo não, é melhor levarem atrás deles uma fossa séptica móvel, não vá o Putin ter ideias...

João José Horta Nobre
30 de Janeiro de 2016
 

Já Caiu no Ridículo e Não Faz Efeito



Alguém que por avise os judeus fanáticos, que continuam a tentar usar o Holocausto como desculpa para aprofundar as suas agendas políticas, que essa técnica de manipulação psicológica das massas - tentando perpetuar um hipotético sentimento de culpa nas mesmas - já caiu no ridículo e perdeu praticamente todo o efeito que em tempos teve.

O último episódio célebre disto de que estou a falar, passou-se precisamente esta semana quando a propósito do dia da memória do Holocausto, a irmã de Anne Frank, veio atirar numa entrevista que na sua opinião "Trump é o novo Hitler!"

Não vale a pena alguns judeus continuarem a insistir em utilizar o Holocausto para fins políticos, pelo simples motivo de que já não faz efeito psicológico e francamente, já cansa... Não adianta tentarem continuar a rotular de "nazi" qualquer cidadão que se preocupe com o seu País, porque isso também já não funciona. O Holocausto foi utilizado até à exaustão por muitos judeus e não-judeus nas últimas décadas, como forma de tentar minar a oposição através de um artificial "sentimento de culpa" e isto realmente funcionou durante algum tempo, mas como já seria de esperar, o efeito foi-se esmorecendo com o passar dos anos, até chegar ao ridículo actual.

João José Horta Nobre
30 de Janeiro de 2016
 

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Que Interesses Servem as Putas da República?


Podem ver no vídeo acima uma turba de muçulmanos a "enriquecer" agentes da autoridade na Dinamarca. Deve-se começar a incentivar esta "riqueza imensa" que as elites trouxeram para dentro da Europa, a ir para os bairros onde vivem as elites, espalhar lá a sua "riqueza" e o seu "amor". Os burgueses que patrocinam os partidos que defendem o "multiculturalismo", que levem com eles em cima e os aturem.



Que eu saiba, a Dinamarca é um País independente e soberano e nem o governo português, nem nenhuma das restantes meretrizes republicanas, tem o direito a interferir nos assuntos internos deste ou de qualquer outro País.

Mas o despautério não se fica por aqui, é que o "Partido Xuxalista" entretanto, "já apresentou um requerimento para ouvir no Parlamento o embaixador da Dinamarca com «urgência». A audição deverá decorrer para a semana."

O embaixador da Dinamarca não se deve prestar a este tipo de vexamento. Isto é absolutamente ridículo que se peçam explicações a um embaixador, por causa de assuntos internos que dizem respeito apenas ao seu próprio País. O embaixador deve recusar esta humilhação e rejeitar-se a ter de dar explicações sobre assuntos que não dizem respeito, nem ao governo português, nem a nenhum deputado da Assembleia da República.

É até com bastante vergonha que eu constato a velhacaria que tomou conta da República Portuguesa. PS, PSD, CDS, BE, CDU e PAN, todos juntos no complô internacionalista contra o povo da Dinamarca. Com que direito seus filhos da puta? Digam-me lá com que direito e em nome de quem é que estão a fazer isto???

Que interesses é que estão a servir seus tarados de merda?


São as instruções do Clube Bilderberg?

São as ordens da "fraterna" maçonaria?

Foi a lunática comprovada da Merkel que vos mandou fazer isto?

Ou como bons lacaios e oportunistas que sempre foram, estão apenas a cumprir ordens emanadas a partir de Bruxelas?

É que isto de certeza absoluta que não configura uma das obrigações de todo o deputado português, que é a de defender sempre e em qualquer lugar o interesse nacional. Mas afinal de contas, desde quando é que esses estafermos alguma vez defenderam o interesse nacional?...

Mais uma vez fica patente como esta gentalha da Terceira República está ao serviço não dos portugueses, nem dos interesses de Portugal, mas sim, de entidades obscuras e acima de tudo, da alta finança internacional e internacionalista. Mas eles que fiquem a saber, a guerra que estão propositadamente a arranjar, ainda vai apenas no início e no fim, vão perdê-la.

João José Horta Nobre
29 de Janeiro de 2016
 

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Para os Incrédulos

O Chefe do Estado-Maior do Exército Sueco, o General Anders Brännström

Como eu sei que existem por aí muitos incrédulos que têm dificuldade em acreditar num "teórico da conspiração" - segundo alguns, a necessitar de internamento urgente num manicómio - do meu calibre, que "delira" sobre um Mundo controlado por tenebrosas elites maquiavélicas, que planeiam nas brumas destruir as nações (começando pelas europeias, o resto do Mundo vai a seguir...), de forma a poderem erguer um governo mundial totalitário controlado pelas mesmas, aqui fica uma informação que poderá fornecer um pouco de ordem a algumas mentes confusas:


Pois é, citando um famoso treinador de futebol: "e o burro sou eu?!"

João José Horta Nobre
28 de Janeiro de 2016
 

Deviam de Agradecer à PIDE/DGS

 Crachá da Direcção Geral de Segurança (DGS).

Por vezes pergunto-me o que seria do actual regime sem a PIDE/DGS? Onde é que iriam buscar os "heróis" para ilustrar a mitologia oficial do regime com que as Pimentelas, os Rosas, os Pachecos, os Loffs, entre outros contadores oficiais de estórias nos brindam regularmente?

Vamos ser sinceros, ninguém pode ser herói sem sofrer um bocadinho, faz parte do processo, todo o "herói" tem de ser bem "amassado" e esse "amassamento" por vezes pode levar dias, meses, anos ou até décadas até ficar completo. Ora, ninguém pode negar que a PIDE/DGS foi inegavelmente a melhor "amassadora" de "heróis" que Portugal teve nos últimos 100 anos, uma autêntica fábrica de "heroísmo" que produziu "heróis" como quem produz papo-secos.

O que levou a que estes "heróis" fossem abençoados pelo destino do "amassamento" às mãos da PIDE/DGS? Bem, para começar a larga maioria era súbdita fiel de grandes "humanistas" reconhecidos internacionalmente como Mao Tsé-Tung, Estaline e Trotsky. Outros andavam a distribuir bombas como quem distribui flores, em nome da "resistência ao regime", pois claro (se tentarem fazer isso hoje, vão presos, pois os ditos "democratas" só toleram ataques à bomba quando não estão no poder...).  Depois havia outros que eram informadores da CIA e do KGB, mas claro, já se sabe que para os "democratas" da nossa republiqueta falida, fazer espionagem a favor de uma potência estrangeira não constitui um acto de traição, mas sim, um acto de "heroísmo" que merece ser louvado e condecorado, aliás, foi com vista a este fim "heróico" que alguns camaradas do PCP até se dignaram a enviar para a União Soviética uma parte dos arquivos da PIDE/DGS, no rescaldo da Abrilada de 1974. 

Se estes actos "democráticos" de extrema bravura e "heroísmo" tivessem sido praticados no tempo do Marquês de Pombal, o mais certo era o seus autores terem tido um fim semelhante ao dos Távoras. Se fosse nos Estados Unidos, garantidamente íam presos e era até possível que a CIA os sujeitasse previamente a umas sessões de waterboarding e lhes servisse o jantar pelo recto acima, ou poderiam in extremis acabar executados na cadeira eléctrica como aconteceu ao casal Rosenberg. Se fosse na "Gloriosa Pátria do Socialismo", provavelmente acabariam primeiro torturados até ao limite e de seguida fuzilados ou deportados para um qualquer GULAG, de onde dificilmente alguma vez voltariam a sair, mas, como foi no "Portugal dos brandos costumes", a "condecoração" máxima que os nossos "heróis" receberam foi apenas um "amassamento" às mãos da PIDE/DGS e o direito automático a passarem a configurar como "heróis da resistência" nos livros de estórias mitológicas do actual regime.

Todos os regimes têm a sua mitologia, no entanto, a do actual parece ter sido "amassada" pela "salazarista" PIDE/DGS e é por isso mesmo que todos os "democratas" lhe deviam de agradecer do fundo do coração e darem graças por não terem nascido nos EUA, nem na URSS, caso contrário, o mais provável era já terem sido executados ou estarem ainda numa cela de prisão, a reflectir sobre os seus actos de "heroísmo"...

João José Horta Nobre
28 de Janeiro de 2016

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

As Actuais Elites Europeias Não Merecem o Respeito de Ninguém

 As estátuas do Museu Capitolino em Roma, tapadas para não ofender "sua excelência", o Presidente do Irão.

Mais uma vez demonstrando o total rebaixamento perante culturas alógenas inferiores e intolerantes, - aquilo que se podem designar como sendo as culturas anti-cultura e das quais o Islão é um bom exemplo - em Roma e por decreto da criminosa elite que está no poder por aquelas bandas, foi decidido que a nudez das estátuas do Museu Capitolino podia "ofender" o Presidente do Irão em visita ao local e portanto, a "solução" encontrada foi a de em nome da "tolerância" mandar tapar as estátuas.

As actuais elites europeias não merecem o respeito de ninguém, para mim, estão ao nível da trampa e dar-lhes esse nível já é muito!

João José Horta Nobre
27 de Janeiro de 2015
 

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Na República as Mulheres Podem Andar de Mamas ao Léu... Mas só Nas Obras de Arte

 A "República", uma mulher claramente avantajada...


 "Os meus seios nunca fizeram mal a ninguém." - Elena Anna Staller (1951 - )

A nossa "querida" República tem destas coisas. Contradição atrás de contradição, faz parte da natureza do próprio regime. Já repararam como a República é muitas vezes retratada na arte como sendo uma figura feminina, normalmente de peito à mostra? Este estilo artístico em que a República é representada, faz claramente parte do Romantismo e demonstra que pelo menos, no que concerne às belas artes, os republicanos de 1910 tinham o mínimo de bom gosto.

Mas há aqui um pormenor. É que os republicanos só toleram mulheres de mamas ao léu se for em obras de arte, pois como podem ver aqui, em 1987, a conhecida actriz pornográfica húngaro-italiana, Cicciolina (Elena Anna Staller de seu nome real), visitou Portugal e atreveu-se a mostrar as mamas nas galerias da Assembleia da República, protagonizando assim o primeiro e único momento até hoje, em que houve nudez nesse tão distinto espaço. Ora, como os republicanos não colocaram nenhum papel na porta do Parlamento a avisar que ali uma mulher só pode mostrar os peitos se for numa obra de arte, o resultado final foi que a menina Cicciolina acabou pronta e rapidamente escoltada para fora das galerias da Assembleia da República.

Isto aconteceu há 28 anos atrás e como existe sempre a hipótese de um episódio destes se voltar a repetir a qualquer momento (nesse caso, há o grande perigo de a moral da Nação poder colapsar e da maneira que isto está, nem a viagra já a consegue levantar...), não é de todo exagerado pedir aos senhores e senhoras de(puta)dos e de(puta)das, que por favor coloquem um aviso na porta da Assembleia da República, de forma a relembrar aos doces elementos do sexo feminino, que estas naquele tão distinto espaço só podem mostrar as mamocas se for nas obras de arte.

João José Horta Nobre
25 de Janeiro de 2016


domingo, 24 de janeiro de 2016

O Cristianismo Não Tem Força Para Derrotar o Islão

 Richard Dawkins (1941 - )


Não acredito no que agora diz o ateu Richard Dawkins, curiosamente um cientista que tem passado a vida a atacar o Cristianismo. Agora, segundo o mesmo, o Cristianismo é a melhor defesa que o Mundo tem contra o Islão radical.

Não acredito nisto e vou explicar porquê.

Jesus Cristo proíbe explicitamente a utilização da força, mesmo para motivos de autodefesa. Está escrito muito claramente no Novo Testamento que há que dar sempre a outra face ao inimigo e amá-lo sob todas as circunstâncias. Isto são as instruções que Jesus Cristo nos deixou e qualquer cristão que não as cumpra, atenta contra as palavras de Cristo.

As cruzadas na Idade Média resultaram da mais pura ignorância teológica, pois a utilização da violência, mesmo em autodefesa, é explicitamente proibida por Jesus Cristo. A atitude que um verdadeiro cristão deve ter perante o inimigo é a de se deixar massacrar pura e simplesmente. Assim o faziam os primeiros cristãos que perseguidos pelo Império Romano, recusavam opôr resistência violenta às perseguições do mesmo e consequentemente abraçavam o martírio como uma bênção.

Os cristãos que não me levem a mal, mas o Cristianismo tem pontos que roçam numa espécie de culto de morte. Para começar, a cruz que utilizam como símbolo religioso e muitos usam à volta do pescoço, era o instrumento de execução do Império Romano, agora imagine-se o que seria se Cristo tivesse morrido numa cadeira eléctrica, íam andar com uma cadeira eléctrica em miniatura à volta do pescoço?

Depois há a questão teológica de Cristo ter morrido na Cruz porque assim era a vontade de Deus, ou seja, o seu pai. Isto obriga-me a fazer outra pergunta lógica: que tipo de pai é que quer que um filho morra pregado numa cruz?

Parece-me óbvio que um pai que crucifica um filho, só pode ser considerado como um doente mental e criminoso.

Por fim temos as próprias instruções ultra-pacifistas e pró-martírio que Cristo nos legou por via do Novo Testamento. Aqui entramos no campo do suicídio puro e simples, pois seguir a palavra de Cristo perante hordas como as do Islão, que não se importam de cortar cabeças e queimar gente viva, é um puro suicídio.

Mas do ponto de vista teológico, a morte por via do martírio no Cristianismo é a garantia de entrada no paraíso, por esse mesmo motivo, o facto do Cristianismo ter pontos que roçam num culto de morte, não tem nada de aberrante sob a perspectiva religiosa, pois quem quiser ter entrada garantida no paraíso, só tem de se deixar massacrar, é tão simples quanto isto. 

A resistência passiva não funciona contra os muçulmanos, aliás, isso é exactamente o que eles querem. Que vocês não resistam, sejam bons cristãos e curvem-se de forma a que assim seja ainda mais fácil cortar-vos a cabeça, melhor ainda, entreguem aos mouros todas as armas que têm. É a palavra de Cristo, são as ordens explícitas de Cristo, há que dar sempre a outra face e amar o inimigo, mesmo que este vos queira decapitar e violar a vossa mulher e filha.

Não há uma única linha do Novo Testamento que justifique a resistência armada, estou farto de procurar e não encontro nada. Os teólogos medievais tiveram mesmo de dar grandes voltas à imaginação para justificar a utilização da violência por parte dos católicos, grandes voltas mesmo. Esperarem que o Cristianismo seja capaz de derrotar o Islão, é o mesmo que esperarem que D. Sebastião regresse numa manhã de nevoeiro. Podem continuar à espera, de preferência sentados...

João José Horta Nobre
24 de Janeiro de 2016

sábado, 23 de janeiro de 2016

Um Vira-Casacas Chamado Marcelo Rebelo de Sousa



Foi desta forma que o vira-casacas Marcelo Rebelo de Sousa reagiu, aquando de uma polémica em 1996, a propósito de um sketch de humor com a temática da Última Ceia, que Herman José fez na rubrica televisiva Herman Zap (RTP1) e que provocou na altura bastante indignação junto de alguns sectores católicos, incluindo a ala mais conservadora do PSD: 

"Vejo com preocupação que num canal com serviço público se encontrem mensagens que podem ser consideradas ofensivas de valores partilhados pela maioria dos portugueses e também ofensivas de instituições particularmente relevantes como a Igreja Católica."

Dezanove anos depois, em 2015, foi desta forma que o vira-casacas Marcelo Rebelo de Sousa reagiu em consequência do Massacre do Charlie Hebdo: 

"São fortes as caricaturas, mas em democracia há métodos para lidar com esta realidade que não são nem a bomba nem o homicídio. Quer dizer, as pessoas que se sentem ofendidas ou que não gostam, escolhem outra coisa."

Exactamente! 

Em lugar de se ter armado em moralista da tanga rota, como fez em 1996, por causa de um simples sketch de humor absolutamente inofensivo, o vira-casacas Marcelo Rebelo de Sousa podia simplesmente ter escolhido outra coisa. Mas esta postura de dizer branco hoje e preto amanhã, não deve surpreender ninguém que esteja ao corrente daquilo que sempre foi o Marcelinho, o bétinho criado a sopas da ditadura, que agora quer ser Comandante Supremo das Forças Armadas (será que ele sabe sequer como operar uma espingarda de pressão?...). 
  
Quem não o conheça que o compre...

João José Horta Nobre
23 de Janeiro de 2016

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

As Elites Estão a Tentar Fazer-nos Regressar à Idade Média


Aqui podem ver os "cirurgiões" e "engenheiros" pacíficos e "enriquecedores" de que fala a lunática da Merkel, a praticarem várias modalidades de arremesso de pedra contra a polícia na fronteira da Macedónia.

Uma das obrigações que incumbe a qualquer governante, é a de zelar pela saúde pública dos seus compatriotas e não a de colocá-la em perigo como as actuais elites europeias estão propositada e criminosamente a fazer.

As elites têm repetido insistentemente que a "brincadeira" dos refugiados não representa um perigo e que os seus concidadãos não devem ter medo.

Tudo mentira!

Os nacionalistas avisaram sobre tudo isto que está a acontecer desde o início, mas alguém lhes deu ouvidos? Qual quê, cuidado que isso é "faxismo" pá!

Foram feitas inúmeras advertências sobre aquilo que aí vinha a caminho: crime, doença, estupro em massa, vandalismo indiscriminado e a aceleração do processo de islamização da Europa que já teve início há cerca de quatro décadas atrás. Tudo isto era muito fácil de prever para quem saiba o mínimo de história, pois o comportamento do Islão em todos os tempos e lugares, nunca foi de paz e harmonia, mas sim de expansão e conquista bruta. O Islão, muito mais do que qualquer outra religião, se não for combatido "olho por olho e dente por dente", tomará cada vez mais território até ao colapso total da Europa e possivelmente do próprio Ocidente.

Os cristãos da Europa, especialmente os católicos, actualmente liderados por um Papa amigo do esquerdalho colaboracionista e traidor, não estão minimamente preparados para enfrentar a brutalidade cega das hordas islâmicas. Esta gente não tem a mínima noção do que aí vem a caminho e alucinados pelas cantigas infantis do Vaticano, vão cavando a sua própria sepultura de dia para dia. No fundo, é de ter pena coitados, pois eles na sua inocência e ingenuidade não sabem melhor...

Falta-nos hoje e mais do que nunca, um César na Europa que não tenha problemas em cravar a sua espada no coração do inimigo, de preferência, antes que o inimigo nos faça o mesmo a nós...

Ora, o vil inimigo que enfrentamos, para começar e antes de mais, é um inimigo interno, infiltrado nos meios culturais e no Mundo da política, onde age silenciosamente, não revelando as suas verdadeiras intenções, mas conspirando dia e noite para nos aniquilar. É este inimigo interno, que num acto de traição suprema que ecoará através dos tempos, abriu as portas da Europa a um autêntico Cavalo de Tróia que sempre nos odiou e quis destruir. Um Cavalo de Tróia que alega ser subserviente a um Deus "misericordioso", mas que não hesitará em cortar-nos a cabeça e escravizar as nossas mulheres e crianças, se lhe for dada a oportunidade para tal.

Realmente, tenho dificuldade em perceber se as elites fazem isto porque são estúpidas ou se o fazem porque são apenas estúpidas. É que a estupidez crua e nua constitui a única explicação para este comportamento suicida e em boa verdade, etno-masoquista, demonstrado pelas actuais elites. O mouro, no dia em que assumir o poder, terá pelas elites a mesma desconsideração que nutre por qualquer outro infiel.


No vídeo acima podem ver a criminosa da Frau Von Berg, militante da Aliança 90/Os Verdes, a dizer alto e bom som que "vai ser bom" o facto de no futuro os alemães passarem a ser uma minoria no seu próprio País. A criminosa chama a esta aberração que pretende construir uma "sociedade supercultural". Os alemães que não arranquem estes doentes mentais do poder o mais depressa possível que não é preciso...


Mas como eu dizia no início desta pequena peça, incumbe a qualquer governante zelar pela saúde pública dos seus compatriotas e não o fazer é crime. Será um crime ainda mais grave se for provado que um dado governante tomou medidas propositadas no sentido de prejudicar a saúde pública, ou seja, o bem-estar geral.

Aparentemente e mais uma vez a confirmar tudo o que os nacionalistas têm denunciado sobre esta situação desde o primeiro dia, agora por obra e graça dos "enriquecedores de pátrias" a que as elites europeias criminosamente escancararam as portas, estamos a assistir à reemergência de doenças na Europa que já não víamos há décadas.

Ora, adivinhem lá quem é que traz as doenças?

Será a Pipi das Meias Altas?

Será que é o Astérix e Obélix que estão a produzir e a disparar armas biológicas a partir da sua "aldeia povoada por irredutíveis gauleses"

Será o Darth Vader?

Às tantas ainda é o malandreco do Tintim que foi às "ostras" no Red Light District e veio de lá com um "esquentamento" (ou acaso julgavam que os belgas só comiam chocolates?...).

Pensando bem, talvez seja Salazar, a culpa é sempre de Salazar, esse "faxista"!

Mas, afinal de contas, parece que não. Quem anda a trazer doenças para as nossas pátrias não é nem a Pipi das Meias Altas, nem o Astérix e Obélix, nem o Darth Vader, nem o Tintim e nem sequer o Salazar. Parece que os responsáveis por isto são a tal "riqueza imensa" de que os mundialistas gostam de nos falar: os "refugiados saudáveis", que segundo alguns adiantados mentais "não representam risco algum", e que em muitos casos até são "médicos", aliás, segundo a Merkel e restante cambada mundialista, a maioria são quase todos engenheiros, filósofos, poetas e intelectuais absolutamente inofensivos, não há qualquer perigo. Já se sabe que só um "faxista-racista-nazi-xenófobo-filha-da-puta" é que pode ver qualquer perigo ou ameaça nisto!

Só um "faxista-racista-nazi-xenófobo-filha-da-puta" é que pode ver qualquer perigo no facto de, pela primeira vez em quase vinte anos, a Dinamarca estar agora a assistir a casos de difteria. 

Só um "faxista-racista-nazi-xenófobo-filha-da-puta" é que pode ver qualquer perigo no facto de estarem a entrar na Dinamarca, sem qualquer tipo de controlo adequado, refugiados infectados com malária e tuberculose.

Só um "faxista-racista-nazi-xenófobo-filha-da-puta" é que pode ver qualquer perigo no facto de muitos refugiados não estarem sequer adequadamente vacinados, terem uma mentalidade medieval, nutrirem um total desprezo por judeus e cristãos e estarem a ser deixados à solta dentro do espaço Schengen que, ao que tudo indica, poderá colapsar em conjunto com a União Europeia dentro de poucos meses (oxalá que sim!).

Já se sabe, só um "faxista-racista-nazi-xenófobo-filha-da-puta" é que pode ver ameaças e perigos em tudo isto!

O problema para a esquerdinha caviar e os direitinhas do copinho de leite, é que a Senhora Realidade, para além de ser uma senhora muito respeitável, é também uma senhora muito teimosa. Esse é que é o grande problema em que a esquerdinha caviar e os direitinhas do copinho de leite ainda não pensaram e um dia, talvez não daqui a muito tempo, quando a Senhora Realidade lhes cair em cheio em cima da cabeça, a dor e as consequências vão ser muito piores do que se fosse o próprio céu a cair-lhes em cima dos cornos!

As elites estão comprovadamente a fazer-nos recuar décadas e se nada for feito, um dia vamos acabar por acordar na Idade Média... É que não tenham a mínima dúvida, ou as actuais elites europeias são forçosamente arrancadas do poder e destruídas de uma vez por todas no prazo máximo de 30-40 anos, ou será o nosso fim colectivo como povo e Civilização.

Depois só não digam que não houve quem avissasse sobre o que estava para vir...

João José Horta Nobre
22 de Janeiro de 2015

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

A "Ética" Republicana


No vídeo acima podem ver sua excelência Eduardo Ferro Rodrigues, o actual Presidente da Assembleia da República, a dizer que se estava "cagando para o segredo de justiça", por ocasião do escândalo de pedofilia da Casa Pia. Trata-se de um magno exemplo da "ética" republicana.

Durante o período correspondente à Primeira Guerra Mundial (1914-1918), morreram de fome cerca de 82.000 portugueses, vítimas da mais pura incompetência por parte dos senhores que se arvoraram do poder em 1910, por via de um golpe de estado ilegal e nunca é demais frisar a parte do ILEGAL, porque a instituição da República, da forma como foi feita - pela via das armas e à margem de qualquer tipo de referendo - constitui uma ilegalidade que se mantém até hoje. 

O actual regime, da forma como está, não é legítimo e deveriam ser os próprios militares, que são os guardiões últimos da Nação, a obrigar os actores do regime a fazer um referendo, de forma a que se pudesse averiguar sobre a sua putativa legitimidade ou ilegitimidade. Os portugueses não pagam impostos para sustentar umas Forças Armadas inactivas e que auxiliam traidores, usurpadores e ladrões a manterem-se no poder. O actual Estado republicano, em termos de funcionamento interno, assemelha-se mais a um Estado-Máfia do que a outra coisa qualquer, sendo os únicos interesses defendidos pelo mesmo, os da plutocracia internacional e internacionalista sediada em Wall Street e Bruxelas.

Da próxima vez que ouvirem um Soares, um Cavaco ou um Pateta Alegre a falar das "virtudes da República" ou da "ética republicana", perguntem-lhes se durante os quatro anos que durou a Primeira Guerra Mundial e ao longo dos quais pereceram de fome 82.000 portugueses, se durante esse período algum dos tais "virtuosos" e "éticos" republicanos passaram um único dia de fome? 

João José Horta Nobre
21 de Janeiro de 2016

Cabos de Faca no Cu


Aqui podem ver o Luís Marreco, filmado num café da vila de São Brás de Alportel, vestido de mulher e a teorizar sobre "cabos de faca no cu".


Havia na minha vila natal, São Brás de Alportel, um maluquinho a quem chamávamos o Luís Marreco ou Kadoc (não confundir com o outro Luís Marreco de Portimão), que ocasionalmente se vestia de mulher e andava pelos cafés da vila a fazer as suas pobres figuras tristes. Coitado, ele não tinha culpa, padecia de doença mental grave e por isso estava sempre desculpado, por mais barbaridades ou asneiras que fizesse e dissesse. Era o maluco da vila e era acarinhado por todos como tal.

Ocasionalmente, o Luís Marreco (Kadoc para os amigos...), gostava de se armar em grande sábio e com umas asneiras pelo meio, lá proferia as suas grandes sentenças. Nomeadamente, quando ele dizia que gostava de enfiar cabos de faca no cu dos seus inimigos imaginários. Ora, adivinhem só de quem é que eu me lembrei, quando descobri que apenas desde Julho do ano passado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros gastou mais de 300 mil euros em faqueiros... isso mesmo, leram bem, faqueiros?! 

Se a resposta em que pensaram foi o pobre do Luís Marreco, então acertaram em cheio! É que realmente, - depois de vir a saber que num País em crise social profunda, o Ministério dos Negócios Estrangeiros gastou em apenas seis meses, mais de 300 mil euros em faqueiros - só me apetece mesmo é dizer aos senhores e senhoras que andam a gastar o nosso dinheiro nestas inutilidades, que fariam agora bom uso das facas de luxo que adquiriram, se enfiassem os cabos das mesmas nos seus ricos cuzinhos lavados a água de malvas (e não se esqueçam da vaselina...)!

Num País como o nosso, em que temos cantinas sociais no limite das suas capacidades, é um verdadeiro escândalo que a elite tenha o despautério de esbanjar o dinheiro do povo de uma forma tão irresponsável. Mais do que um despautério, isto é um crime contra o erário público, é cuspir em cima dos pobres portugueses que estalam de fome, enquanto os suínos da elite comem com garfos e facas banhados a ouro. Eu julgava que só na Coreia do Norte - País onde o "querido líder" come lagosta, enquanto o povo se alimenta de raízes e casca de árvore - é que se viam este tipo de loucuras, mas pelos vistos Portugal parece estar a transformar-se numa espécie de Coreia do Norte, versão lusitana. Já temos a censura nos meios de comunicação social, que só passam o que lhes interessa e convém. Agora só falta é criarem uma polícia política "democrática" e começarem a torturar "faxistas" para o retrato ficar completo. Próxima paragem, Pyongyang.

O pobre do Luís Marreco já lá vai, foi colhido por uma pneumonia fulminante há alguns anos atrás. Paz à sua alma.

João José Horta Nobre
21 de Janeiro de 2016

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Há Menos um Genocida em Portugal


Já perto do fim e semi-senil, não hesitou em colocar-se em defesa do maior corrupto e doente mental que alguma vez esteve hospedado na penitenciária de Évora.


Parece que finalmente se finou um dos principais responsáveis pela limpeza étnica a que os portugueses brancos foram sujeitos em África.


A única coisa que lamento é este energúmeno e outros como ele, nunca terem sido levados a julgamento por tudo aquilo que fizerem. Esta era a tal malta "humanista" que antes da Abrilada de 1974, andava a falar de "direitos humanos" e dos crimes do "faxismo", mas que assim que se apanharam no poder, trataram de levar a cabo uma limpeza étnica no ultramar português.

Também sempre muito preocupada com os "human rights", a comunidade internacional nunca se preocupou em levar esta gente a julgamento, talvez porque as suas vítimas não foram judeus, caso contrário e por bastante menos, já teriam todos há muito tempo um mandado internacional de captura em cima do lombo...
 
Vale a pena destacar que a maioria das vítimas destes animais, nem sequer foram portugueses brancos, mas sim, os próprios indígenas africanos que após a "descolonização exemplar", foram massacrados às centenas de milhares e que até hoje continuam a ser espezinhados de toda a forma pela tralha "libertadora" que assumiu o poder por aquelas bandas.

Mentiroso e manhoso como quase todo o maçon, desprovido de qualquer tipo de honra e trabalhando dia e noite como um lacaio em prol dos seus amos internacionalistas, o traidor Almeida Santos morreu sem nunca ter mostrado uma pinga de arrependimento por tudo aquilo que fez a milhões de portugueses.

Que Lúcifer na sua sapiência maléfica lhe guarde a alma e faça da sua nova besta dos infernos um bom uso.

Ámen.

João José Horta Nobre
19 de Janeiro de 2016
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...